Ataque

Motorista é executado com cerca de 30 tiros em trecho da Av. Santos Dumont

Vítima seria "Vainer PP", líder da facção criminosa Família do Norte (FDN). Mulher que andava no banco do passageiro também foi baleada na cabeça

15:44 · 20.04.2017 / atualizado às 16:09
hilux
Hilux preta que foi atacada na Av. Santos Dumont ficou com diversas marcas de bala

Um homem que dirigia uma Hilux preta em um trecho da Avenida Santos Dumont, em Fortaleza, foi executado com cerca de 30 tiros no início da tarde desta quinta-feira (20), no bairro Praia do Futuro I. Segundo informações da Polícia Militar (PM), a vítima seria o líder da facção criminosa Família do Norte (FDN), conhecido como "Vainer PP". Ele era natural de Manaus e estava no Ceará há três dias.

A ação criminosa quase foi presenciada pelo coronel Henrique Bezerra, comandante do BPChoque, que passava próximo ao local no momento do crime. Segundo ele, tudo foi muito rápido. "Quando cheguei ao local, a execução já havia acontecido", ressaltou. Segundo a PM, o responsável pelo crime estava a pé no momento dos disparos, porém com apoio de um comparsa em um corsa sedan bege, veículo usado na fuga. A arma usada na execução também chamou a atenção: uma pistola calibre 7.28 mm, com hipervelocidade de disparo, conhecida como "Mata Tira".

Além de "Vainer PP", uma mulher identificada como Tereza Vital Nunes, que estava no banco do passageiro da Hilux, foi atingida por alguns disparos na cabeça. Ela foi socorrida e encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Praia do Futuro, onde aguarda transferência para o Instituto Dr. José Frota (IJF). O estado de saúde dela ainda não foi divulgado.

Ainda segundo a PM, "Vainer PP" estaria indo a um flat localizado na Rua Dr. Manoel Rodrigues Monteiro para buscar uma mulher identificada como Daniele Vital Nunes, filha de Tereza. Ouvida pela polícia, Daniele se identificou como médica, mas não provou a alegação através de documentos. 

Até o momento, ninguém foi preso pelo crime. Informações preliminares dão conta de que a execução teria sido realizada por integrantes da facção Comando Vermelho, mas ainda não há confirmação.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.