Desde 8 anos

Homem é preso suspeito de abuso sexual contra enteada de 13 anos; mãe é autuada por omissão

O padrasto da adolescente já respondia por homicídio doloso, tráfico de drogas, posse e porte ilegal de armas

15:55 · 10.09.2018 / atualizado às 17:07

Um homem foi preso, na última quarta-feira (5), na Rosalinda, em Fortaleza, sob suspeita de abuso sexual contra a própria enteada, de 13 anos. De acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil nesta segunda-feira (10), a mãe biológica da adolescente também foi presa, autuada pelo crime de omissão, já que sabia dos estupros contra a filha, mas nada fez para protegê-la. 

A prisão foi feita por equipes da Delegacia de Combate a Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa), da Polícia Civil. Após investigação, a Dececa apurou que o padrasto abusou a menor durante quase 5 anos, desde quando ela tinha 8 anos. A adolescente, que teve identidade preservada, pediu ajuda à escola e, com o auxílio da instituição, fez a denúncia na delegacia. 

Segundo a diretora do Departamento de Polícia Especializada na Proteção aos Grupos Vulneráveis da Dececa, Rena Gomes, a adolescente era agredida pela mãe e, no dia em que foi denunciar, tinha sido espancada com uma barra de ferro. A diretora afirmou que a mãe alegava que as agressões eram feitas para disciplinar a menina. 

"É dever dos pais protegerem os filhos. A menina procurou a mãe pensando que seria acolhida. E a mãe protegeu o marido e não tomou nenhuma medida legal para acabar com a violência sofrida pela filha", comentou a diretora do DPGV, Rena Gomes.

De acordo com a Dececa, o homem, que já responde por homicídio doloso, tráfico de drogas, posse e porte ilegal de armas, agora vai responder também por estupro de vunerável e a mãe dela, que já possui antecedente criminal por porte ilegal de arma de fogo, foi autuada pelo crime de omissão. 

A adolescente foi encaminhada para uma instituição de proteção, junto com dois filhos biológicos do casal, um de 9 e outro de 4 anos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.