Nesta madrugada

Fuga em massa acontece em penitenciária; unidade é a mais nova do Ceará

Segundo o Conselho Penitenciário do Estado (Copen), detentos que escaparam são membros da facção criminosa GDE

11:07 · 13.04.2018 / atualizado às 17:48
Image-0-Artigo-2325355-1
Inaugurada em novembro do ano passado, a CPPL VII é considerada uma unidade conceito, inclusive no que diz respeito à segurança ( Fotos: JL Rosa )

Uma fuga de grandes proporções aconteceu na madrugada desta sexta-feira (13) na Unidade Prisional Professor José Sobreira de Amorim, localizada no Complexo Penitenciário I, em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Em nota enviada no fim desta tarde, a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) informou que a contagem ainda está em andamento, mas "o número não ultrapassa 35 internos". Segundo a Pasta, os detentos "fizeram um buraco e chegaram à área externa e, por meio de uma corda artesanal, escalaram a muralha". 

Facção

Conforme o advogado Cláudio Justa, presidente do Conselho Penitenciário do Estado (Copen), os detentos que organizaram a fuga em massa na unidade são membros da facção criminosa Guardiões do Estado (GDE). "A operação só foi descoberta na manhã desta sexta-feira", destaca.

A Sejus disse também que as diligências para tentar recapturar os internos ainda estão em andamento. 

Unidade

Inaugurada em novembro do ano passado, o equipamento é considerado uma unidade conceito, inclusive no que diz respeito à segurança. Para Cláudio Justa, uma fuga de grandes proporções no local, apenas alguns meses após o início de suas operações, liga um sinal de alerta. "Trata-se do equipamento mais novo do Ceará, o que torna o incidente preocupante. Mostra que, se houver presos de facções juntos e um baixo efetivo de agentes, a estrutura por si só não é o suficiente", afirma.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.