violência

Estilista foi morta ao entrar no carro durante tentativa de assalto

Nayana Costa deixava o trabalho quando foi assassinada; o velório ocorreu nesta terça-feira (15)

11:16 · 15.05.2018 / atualizado às 14:57
Estilista foi morta ao entrar no carro durante tentativa de assalto
Nayana Costa foi abordada por três homens quando deixava o trabalho e atingida com um tiro no rosto ( Foto: Reprodução / Facebook )

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) apontou que a estilista Nayana Mara Costa Araújo foi morta ao entrar no carro durante tentativa de assalto, na tarde desta segunda-feira (14), no bairro Parangaba. O corpo da estilista está sendo velado nesta terça-feira (15) e o enterro deve ocorrer até o fim do dia.

De acordo com a Polícia, a vítima foi abordada por três homens quando deixava o trabalho. Os suspeitos tentaram levar o automóvel da estilista, mas ela teria entrado no carro, momento em que foi alvejada com um tiro no rosto. "Ouvi tiros e alguém pedindo por ajuda", revelou uma testemunha ouvida pela polícia, conforme matéria do G1-CE. Nayana Costa não resistiu ao ferimento e veio a óbito no local.

O veículo utilizado pelos criminosos, modelo Classic de cor cinza, foi abandonado no estacionamento de um supermercado da Capital. A Polícia verificou que o automóvel constava como roubado e que estava com placas clonadas.

A 5ª Delegacia da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) segue com as investigações a fim de identificar os responsáveis pelo crime.

Velório 

Amigos e familiares se reuniram na manhã desta terça-feira para o velório de Nayana Costa, que ocorreu na Funerária Alvorada, no bairro Parangaba. 

A enfermeira Thayane Braga, amiga da vítima, fala que Nayana era muito religiosa, amava a vida, era envolvida com esportes. Segundo Thayane, a estilista havia acabado de montar um estúdio de tatuagem e tinha muitos planos para o futuro.

Família e amigos presentes no velório pedem Justiça para o caso.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.