Bairro Autran Nunes

Criança de 10 anos é baleada e morta na sala de casa em Fortaleza

Vítima foi atingida por um tiro na cabeça; alvo seria outra pessoa, segundo a SSPDS-CE

10:16 · 01.06.2018 / atualizado às 13:56
menina
A criança, identificada como Lívia Tainá, não resistiu aos ferimentos ( Foto: Reprodução/TV Verdes Mares )

Uma menina de apenas 10 anos foi morta após ser atingida por uma bala perdida na noite desta quinta-feira (31) no bairro Autran Nunes, na Capital. Familiares da menina informaram que ela estava na sala de casa quando foi atingida na cabeça.

A criança, identificada como Lívia Tainá, não resistiu aos ferimentos.

Outras duas pessoas também foram baleadas e socorridas ao IJF (Instituto Dr. José Frota) no Centro de Fortaleza. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado (SSPDS-CE), as outras vítimas eram um homem de 23 anos e uma adolescente de 17, abordados por dois homens que chegaram em uma motocicleta, quando um deles disparou vários tiros.

Um desses tiros foi o que vitimou a menina. 

O alvo seria o homem, que tentou fugir, mas foi ferido no braço. A Polícia informou que ele tem antecedentes criminais por roubo e lesão corporal. Já a adolescente foi atingida na virilha. Os suspeitos fugiram em seguida. 

A investigação do crime está a cargo da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil. Até a publicação, ninguém foi preso.

Menina é a segunda morta por bala perdida no Estado em 24 horas

O caso de Lívia é o segundo de uma criança morta por bala perdida ocorrido no Ceará em apenas 24 horas. Em Sobral, na noite da quarta-feira (30), uma menina de quatro anos de idade foi atingida com um tiro no peito quando estava próxima de um grupo com outras crianças e adultos na rua.

Dois homens passaram em uma moto pelo local, avistaram as pessoas e, sem nenhum motivo aparente, um deles sacou o revólver e efetuou um único disparo, que atingiu a vítima.

 

 

 

 

Com informações da TV Diário.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.