Ataque a tiros

Criança baleada enquanto brincava passará por cirurgia na clavícula

Duas crianças e um adolescente foram baleados na Praça do Jardim União, no Passaré

Os três foram baleados quando brincavam na praça ( Foto: Natinho Rodrigues )
12:03 · 11.06.2018 / atualizado às 12:15
A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que a Polícia Civil, através do 16º DP (Dias Macêdo) investiga o caso ( Foto: Natinho Rodrigues )

Uma menina de 8 anos de idade terá que passar por uma cirurgia na clavícula, no Instituto Doutor José Frota (IJF), após ser baleada enquanto brincava, na Praça do Jardim União, no bairro Passaré, na Capital, na noite do último domingo (10).

A criança também foi baleada na mão e o quadro é estável, segundo informações do seu padrasto, o vendedor Oceano Barbosa de Sousa. A família mora a cerca de 100 metros de distância de onde ela foi baleada e está assustada.

"Não é muito bom, a gente sente. Só Deus sabe mesmo. Muito triste. Na hora, você nem pensa", fala emocionado, Oceano Sousa. Segundo ele, a menina está esperando uma vaga no IJF para ser operada.

Outra criança e adolescente também foram alvejados

Um menino de 9 anos e um adolescente de 14, do sexo masculino, também foram alvejados, na ação criminosa ocorrida na Capital. A criança foi baleada no pé e no joelho, levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do José Walter e também transferido ao IJF. Ambos não correm risco de morte.

Polícia Civil investiga caso

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que a Polícia Civil, através do 16º DP (Dias Macêdo) está investigando o episódio em que duas crianças e um adolescente foram baleados por um homem que trafegava em uma motocicleta.

"Equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) foram acionadas até o local e realizaram diligências na região, com o objetivo de localizar o responsável pelo ato. Policiais do 13º DP, unidade plantonista responsável pela área, também realizaram os primeiros levantamentos no local do crime", afirmou a Pasta.

Entretanto, ninguém foi preso pela ação criminosa, até o momento. "A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na localização dos suspeitos. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-2952, do 16º DP. O sigilo é garantido", completou a SSPDS.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.