Em São Paulo

Chefe do PCC citado em bilhete é executado a tiros em frente a hotel

O crime foi gravado pelas câmeras de segurança do hotel, que foram entregues à polícia

O crime foi gravado pelas câmeras de segurança do hotel, que foram entregues à polícia ( Foto: Reprodução )
08:13 · 23.02.2018 / atualizado às 15:18 por Folhapress/ Redação Diário do Nordeste

Um homem apontado como um dos chefes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) foi morto a tiros em frente ao hotel Blue Tree Tower, no bairro Jardim Anália, área nobre na zona leste de São Paulo, por volta das 20h desta quinta-feira (22). Duas hóspedes ficaram feridas.

Wagner Ferreira da Silva, de 32 anos de idade, conhecido como 'Cabelo Duro', foi citado em um bilhete trocado por membros do PCC, na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, em São Paulo.

O escrito dizia que 'Cabelo Duro' havia revelado que outro membro do PCC, Gilberto Aparecido dos Santos, o 'Fuminho' (braço direito do líder máximo da organização, Marco Willians Herbas Camacho, o 'Marcola') foi o responsável por mandar matar os membros da alta cúpula da facção, Rogério Geremias de Simone, o 'Gegê do Mangue', 41, e Fabiano Alves de Souza, o 'Paca', 38, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), no último dia 15.

Bilhete PCC

A morte de 'Cabelo Duro' ratifica que o PCC rachou. A execução de 'Gegê' e 'Paca' seria motivada porque eles "estavam roubando", segundo o bilhete apreendido no presídio. A dupla ostentava residências e veículos luxuosos no Ceará e tinha papel importante no tráfico de drogas internacional da facção.

LEIA MAIS:
> Aeronave do PCC pousou duas vezes em reserva indígena
> Criminoso circulava em Fortaleza com a elite

Chefe foi assassinado a tiros de fuzil

Nas câmeras de segurança do hotel, 'Cabelo Duro' aparece fugindo do assassino que disparar tiros de fuzil. Em seguida, ele cai aos pés de um homem que conversava com um rapaz e duas mulheres do lado de fora de um carro. Ao verem os tiros, os quatro saíram correndo.

O assassino se aproximou e deu um tiro na cabeça de Silva. Após o crime, ele fugiu de carro. Segundo o Blue Tree Tower, Silva não estava hospedado no hotel.

Os tiros de fuzil atingiram um carro e uma porta de vidro do hotel, que ficou totalmente trincada. Duas hóspedes feridas foram socorridas por uma equipe do hotel e levadas a hospitais da região. O estado de saúde delas não foi informado.

O Blue Tree Tower não disse se os feridos estavam dentro ou fora do estabelecimento. Em nota, o hotel informou que está dando todo o suporte necessário.

O crime foi gravado pelas câmeras de segurança do hotel. As imagens foram entregues à polícia. O caso será investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

O Diário do Nordeste optou por não publicar o vídeo da execução, por conta da violência das cenas.

Membros da facção foram mortos no Ceará

No último dia 15, Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, foragidos da Justiça de São Paulo e até então considerados as principais vozes da facção criminosa PCC fora dos presídios, foram mortos a tiros em uma suposta emboscada numa região indígena no Ceará.

De acordo com o MP (Ministério Público), atualmente, Gegê do Mangue era o número três na escala da chefia do PCC, abaixo de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, recluso na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, a 600 km da capital, onde está a cúpula da facção, e Abel Pacheco, o Vida Loka, preso na penitenciária federal de Mossoró (RN).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.