Trabalho de inteligência

Chacina do Benfica: Camilo diz que ferramenta tecnológica permitiu prisão de suspeito do caso

Governador elogia trabalho rápido da polícia e diz que monitoramento de placas de veículos foi fundamental para as investigações

13:56 · 12.03.2018 / atualizado às 14:15
camilo
"Vamos continuar aumentando o efetivo na Capital. Já determinei várias blitzes para que a gente possa fazer vistoria de armas dentro dos veículos", disse Camilo ( Foto: Nah Jereissati )

O governador do Estado, Camilo Santana, elogiou nesta segunda-feira (12) o trabalho de investigação da polícia cearense no caso da 'Chacina do Benfica'que deixou sete mortos na noite da última sexta-feira (9), em Fortaleza. Conforme o chefe do executivo estadual, o fato de as autoridades terem prendido um suspeito menos de 24 horas após o ocorrido mostra que as autoridades estão bem equipadas e fazendo bom uso das ferramentas que têm à disposição.

"(A polícia) prendeu porque temos uma ferramenta tecnológica de informação que poucas capitais têm. Hoje, monitoramos todas as placas de veículos que circulam em Fortaleza. Isso permitiu, de forma célere, a gente chegar até o veículo identificado e ter prendido o suspeito, que inclusive foi encontrado com armas", ressaltou o governador.

O único suspeito de participar da Chacina do Benfica que foi preso até o momento é Douglas Matias da Silva. Ele, que foi identificado como membro da facção criminosa GDE, estava com sua namorada (identidade preservada) em uma festa infantil na comunidade do Lagamar, na última sexta-feira (9), mas saiu do local pouco antes dos assassinatos, em um Fiat Punto de cor branca.

Ainda conforme Camilo, a determinação para as forças de segurança do Estado, neste momento, é continuar com as investigações para que haja punição aos envolvidos no caso. "Vamos continuar aumentando o efetivo na Capital. Já determinei várias blitzes para que a gente possa fazer vistoria de armas dentro dos veículos", ressalta.

Reunião com clubes

Além de falar sobre as medidas adotadas pela polícia sobre o caso, Camilo também destacou que participará de uma reunião com o Ministério Público e dirigentes dos clubes Ceará e Fortaleza para buscar soluções para os casos de violência envolvendo torcidas organizadas, tendo em vista que, dos sete mortos na Chacina do Benfica, quatro pertenciam à direitoria da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF).

"Vamos discutir o que podemos fazer para garantir mais paz, aqui no Ceará, no que diz respeito às torcidas", reforça o governador.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.