Vistoria

CGD instaura procedimento para apurar tiroteio que deixou avó e neta baleadas na Serrinha

Em nota enviada no dia seguinte à ocorrência, a SSPDS chegou a afirmar que a informação sobre os feridos não procedia

20:38 · 28.06.2018 / atualizado às 21:21
serrinha
Foto: VC Repórter

Após uma mulher e uma criança serem baleadas na Serrinha, na última segunda-feira (25) e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) negar a ocorrência, que teria sido ocasionada por conflitos entre a polícia e criminosos, a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) informou, nesta sexta (28), que instaurou procedimento disciplinar para apuração do caso e que o procedimento encontra-se na fase de diligências.

O caso aconteceu no entorno da Praça da Cruz Grande, perto do Campus do Itapery, da Universidade Estadual do Ceará (Uece). De acordo com populares, a Força Tática de Apoio (FTA) entrou na área, para fazer uma vistoria, já atirando. A criança baleada tem 5 anos e a mulher 50 anos. 

Depois do caso, a população se revoltou e realizaram protesto na praça, além e tentarem incendiar dois ônibus. Viaturas do Batalhão de Polícia Raio (BPRaio) impediram a ação. Em nota enviada no dia seguinte à ocorrência, a SSPDS chegou a afirmar que a informação sobre os feridos não procedia.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.