Homicídio qualificado

CGD instaura procedimento contra PM acusado de matar jovem há 16 anos

O irmão do policial militar também foi denunciado por envolvimento no crime

O 2º sargento irá responder ao Conselho de Disciplina, na CGD, pela acusação de ter cometido o homicídio ( Foto: Cid Barbosa )
16:03 · 01.04.2018 / atualizado às 16:30

Um crime cometido há mais de 16 anos voltou a ser lembrado pelas autoridades. A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) instaurou procedimento, no último dia 20 de março, contra um policial militar acusado de matar um adolescente.

A medida foi publicada em portaria no Diário Oficial do Estado (DOE), no último dia 27 de março. O documento traz que o 2º sargento Teogenes Nunes de Oliveira foi denunciado pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) por homicídio qualificado, por motivos fúteis e sem chance de defesa da vítima.

O PM e o seu irmão Francisco Henrique Nunes de Oliveira são apontados, pela investigação, como responsáveis pelo homicídio de um jovem (menor de idade), identificado apenas com as letras iniciais F.A.S.D., na Rua 9, no bairro Novo Maracanaú, no Município de Maracanaú, no dia 21 de outubro de 2001.

Para justificar a abertura do Conselho de Disciplina em desfavor do policial, a CGD afirmou que "a mencionada conduta, prima facie, denota possívelmá-fé e fere os Valores da Moral Militar Estadual".

Irmãos PMs são investigados por agressão física

Dois irmãos policiais militares também responderão a um procedimento na CGD pela acusação de agredirem fisicamente dois outros irmãos, na Rua Adalberto Malveira, no bairro Siqueira, em Fortaleza, no dia 13 de agosto do ano passado.

Os militares, que são dois soldados, foram identificados como os responsáveis pelo crime. A abertura da Sindicância Administrativa foi definida no dia 9 de fevereiro deste ano e publicada em portaria no DOE somente na último dia 26 de março.

De acordo com a portaria, os PMs estavam ingerindo bebida alcoólica em um bar próximo ao local onde houve a briga e portavam armas de fogo. Além de agredirem os irmãos, os policiais teriam efetuado disparos para cima. De acordo com a CGD, a conduta viola os valores militares.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.