Decisão do ministro

Ceará terá mutirão carcerário no mês de junho para reduzir superlotação

A expectativa do ministro é que até o fim de 2018 sejam atendidos, pelo menos, 50 mil presos

17:04 · 25.04.2018 / atualizado às 17:20
Jungmann
De acordo com Raul Jungmann, o convênio com as defensorias públicas de todo o País permitirá a redução do déficit de vagas no Sistema Prisional ( Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil )

Com o objetivo de reduzir a superlotação nas penitenciárias do Brasil, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciou, nesta quarta-feira (24), que em junho de 2018 serão iniciados mutirões carcerários. O primeiro Estado a receber a ação é o Ceará.

De acordo com Raul Jungmann, o convênio com as defensorias públicas de todo o País permitirá a análise dos casos da população carcerária e reduzirá o déficit de vagas no Sistema Prisional. A expectativa do ministro é que até o fim deste ano sejam atendidos, pelo menos, 50 mil presos.

“Hoje temos uma superpopulação carcerária, que transforma os nossos presídios em arenas de conflitos, que terminam em massacres. É preciso também que aqueles que já cumpriram a pena e poderiam estar fora venham a sair. Fazendo isso estamos reduzindo o deficit de vagas no sistema prisional e outros que tenham cometido crimes considerados hediondos poderão entrar”, explicou o ministro.

No Ceará há uma população prisional de 34,5 mil pessoas e 66% de presos provisórios. O Estado tem ainda a segunda maior taxa de ocupação do País, com 309%. Em agosto será a vez de Goiás, posteriormente, o mutirão deve chegar ao Pará.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.