Caso Giselle

Caso Giselle: órgãos de mulher baleada por PM são doados

A informação foi confirmada pela assessoria do IJF. O crime segue sendo investigado

17:11 · 13.06.2018 / atualizado às 18:49
giselle
Foto: Reprodução/Facebook

A família de Giselle Távora Araújo, 42, autorizou a doação dos órgãos da vítima. A informação foi confirmada pela assessoria do Instituto Doutor José Frota (IJF), hospital onde a mulher morreu por volta das 6h dessa terça-feira (12). Giselle foi sepultada na manhã desta quarta-feira (13).

> Morte de Giselle: 3 casos causaram comoção após mortes em abordagem policial

 A assessoria do IJF informou que não é possível divulgar quais órgãos da vítima puderam ser doados. Ainda hoje, Camilo Santana disse que o Governo dará apoio aos familiares de Giselle.

Relembre o caso

Giselle foi baleada por um policial militar, na noite da última segunda-feira (11), enquanto trafegava pela Avenida Oliveira Paiva, em companhia da filha. 

A filha de Giselle, Dani Araújo, comentou que a mãe não parou o carro por pensar que era um assalto. "Não fazíamos ideia que era para a gente. Pensamos que era assalto com outras pessoas. Escutamos disparos e pedi para minha mãe sair dali, até que ela levou um tiro", disse Dani Távora.  

O soldado da PM Rafael Soares, autor do disparo que culminou na morte de Giselle, disse em depoimento que atirou "em direção ao pneu do veículo" da vítima. 

Dani Araújo desabafou nas redes sociais sobre o caso envolvendo a mãe. Ela chama a atitude da Polícia Militar de "incompetente e covarde". 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.