10 mil militares estão paralisados, afirma Aspramece; Igreja tenta negociação

10:07 · 02.01.2012 por Felipe Lima

Cerca de 10 mil policiais militares e bombeiros do Estado do Ceará já aderiram à paralisação da categoria, afirma o presidente da Associação dos Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Ceará (Aspramece), Pedro Queiroz da Silva.

O número de bombeiros que aderiram ao movimento aumentou neste domingo após a tomada do Comando do Corpo de Bombeiros em Fortaleza por militares do Exército. Segundo o presidente da Aspramece, várias unidades do Interior já estão paralisadas entre elas Sobral, Russas, Itapipoca e Tianguá. ?Não tinha porque o Exército tomar o Comando, os bombeiros estão indignados?, disse.

Pedro Queiroz afirmou ao Diário do Nordeste Online que já chegam a 10 mil o número de profissionais paralisados. O Ceará conta com cerca de 14 mil militares entre Bombeiros e Policiais.

Negociações

Segundo o presidente da Aspramece o Governo do Estado do Ceará está dificultando as negociações com a categoria. ?O Governo não quer conversar. Ele não quer receber a categoria. A procuradora-geral de Justiça no Ceará, Socorro França, tentou intermediar, mas o Governo não deixa clara a nossa anistia?, afirma.

Pedro Queiroz foi firme ao dizer que a categoria só deve normalizar as atividades  quando o Governo do Estado atender as reivindicações dos militares e bombeiros. ?Esperamos cinco anos, agora não dá mais?, disse.

Igreja negocia

O arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio Tosi , tenta a intermediação do Governo com os militares em paralisação. Segundo a Aspramece, o religioso se colocou à disposição. ?O arcebispo vai tentar nos ajudar, já que o governador Cid Gomes é uma pessoa religiosa?, disse o presidente da Associação.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.