Itaitinga

Oito detentos aproveitam apagão para fugir de CPPL

01:00 · 23.03.2018

Oito presos aproveitaram o apagão que afetou o Ceará e mais 12 estados, na noite da última quarta-feira (21), para fugir da Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga. A Unidade concentra detentos ligados à facção Guardiões do Estado (GDE).

De acordo com a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), os detentos deixaram a penitenciária por volta de 20h. "Os internos quebraram o pergolado e tiveram acesso à área externa da unidade, onde cortaram a grade de proteção", explicou a Pasta.

Segundo o presidente do Sindasp-CE, Valdemiro Barbosa, a energia voltou a funcionar por volta de 22h15, mas os servidores da Sejus já avistaram os cobogós da Rua B quebrados e o alambrado da cerca cortado.

Os fugitivos são Renato Paulo da Costa, Maurício Costa da Silva, Marcos Paulo da Silva Oliveira, João Paulo Calado de Sousa, Jhon Emerson Xavier da Silva, Francisco Ronys Pessoa de Araújo, Francisco Marden Nogueira Lima e Antônio Gomes da Silva Neto. Outros 350 homens são custodiados na Rua B da CPPL II, que tem mais de mil presos, conforme o Sindasp.

Os membros da GDE estão soltos dentro da Unidade, e controlam o horário de entrada e saída das celas, segundo o conselho Penitenciário Estadual (Copen) constatou em uma vistoria. O presídio é o único que não passou por reformas após a crise no Sistema Penitenciário cearense em 2016, quando houve uma série de rebeliões e mortes.

"Não fizeram absolutamente nada. Tem mais de mil detentos da facção GDE, todos soltos. A reforma foi anunciada para 2016 e não foi feita até agora. O gerador de energia não funciona e apenas oito agentes penitenciários fazem a custódia desses mil presos", denunciou Barbosa.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.