diretor geral da pf afirma

'O crime não vencerá, desde que o Estado se una'

Vanessa Gonçalves assume a Superintendência da PF no Ceará, no lugar de Delano Bunn, que assumiu a Diretoria de Gestão de Pessoal em Brasília ( FOTO: SAULO ROBERTO )
01:00 · 23.05.2018

"O crime não vencerá, desde que o Estado se una. Uma vez unido, não há força contrária que consiga nos derrubar", afirmou o diretor geral da Polícia Federal, Rogério Augusto Viana Galloro, durante a posse da nova superintendente da Corporação no Ceará, delegada Vanessa Gonçalves Leite de Souza. Ela ocupa o cargo deixado por Delano Cerqueira Bunn, que assumiu, em março deste ano, a Diretoria de Gestão de Pessoal da PF, em Brasília.

Galloro declarou que o Ceará tem sido uma exemplo de integração para o restante do Brasil. "Existe uma integração muito importante nesse Estado. Quiséramos nós ter essa mesma relação, apoio e integração no restante do País". Segundo o diretor geral da PF, o Centro Regional de Inteligência, anunciado pelo ministro da Segurança Pública, Torquato Jardim, como mais um equipamento para ajudar no combate ao crime organizado, deverá começar a funcionar no Ceará, até o fim do ano.

Conhecido como o 'fim da linha' de uma rota de tráfico internacional de drogas, o Estado enfrenta, indiretamente, o problema da porosidade das fronteiras, por onde entram as drogas e parte das armas que chegam aqui. Rogério Galloro disse que entre as metas estabelecidas pela PF para o ano de 2018, está o reforço nestas áreas. "As fronteiras tão renegadas por falta de pessoal, por se estenderem por 16,5 mil quilômetros. Iniciamos um recrutamento em que teremos em cada posto da fronteira, pelo menos, dois policiais federais e dois policiais da Força Nacional, 24h por dia", garantiu.

O diretor afirmou que foi assinado, na última segunda-feira (21), os convites para as Polícias da Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru e Colômbia para que dois policiais, trabalhem permanentemente com a PF, com gastos custeados pela Instituição, no combate ao tráfico de drogas e armas no Rio de Janeiro.

O governador do Estado, Camilo Santana, disse que o Governo está disponível para fortalecer as parcerias, no combate ao tráfico de drogas e às organizações criminosas que se disseminaram pelo Brasil. "Talvez seja o maior desafio que esse País tenha que travar. Por isso é preciso rever as leis. É preciso de uma pactuação, uma estratégia e uma política nacional de Segurança Pública, que possa dar efetividade e respostas concretas à população, que clama por isso. O crime ultrapassou as fronteiras dos estados e precisamos de um olhar forte para essa questão", declarou Santana.

Posse

A superintendente da PF no Ceará empossada, ontem, disse que "cumprirá a missão com firmeza, resiliência, coragem e profissionalismo". Nascida no Rio de Janeiro, mas filha e neta de cearenses, Vanessa Leite de Souza é a primeira mulher a assumir o comando da Corporação aqui.

A delegada federal reconheceu que o Estado precisa de ações de repressão às facções criminosas e ações preventivas que se antecipem aos crimes. "Não só no nosso Estado, as facções criminosas são um grande desafio no País como um todo".

Sobre 2018 ser um ano eleitoral, Vanessa Souza disse que o tema será prioritário no segundo semestre. "Há cada dois anos trabalhamos com Eleições e a atividade de combate aos crimes eleitorais é prioritária sempre".

Depois de exatos dois anos como superintendente no Ceará, o delegado Delano Bunn se despediu com um discurso emocionado em que chamou o Estado de "terra maravilhosa" e de "meu Ceará". Além disso, citou o Padre Cícero, a quem chamou de "sagrado" e agradeceu por atender a suas preces de proteção e sabedoria.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.