Tauá e Beberibe

MP deflagra ações em dois Municípios

01:00 · 08.06.2018 / atualizado às 01:45
Image-0-Artigo-2411246-1
Em Tauá, foi deflagrada a 'Operação Pela Estrada Afora'. Conforme o MPCE, foram cumpridos mandados de busca e apreensão e gestores públicos foram afastados

O Ministério Público do Estado (MPCE) deflagrou, ontem, duas operações de combate a supostos atos ilícitos cometidos por gestores públicos dos municípios de Beberibe e Tauá. Em Beberibe, cinco mandados de prisões temporárias e 10 mandados de busca e apreensão foram cumpridos, para apurar a ocorrência de crimes contra administração pública local.

Conforme o MPCE, a 'Operação Desfaçatez' é decorrente de investigações que tramitam na Promotoria de Justiça de Beberibe. O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) auxilia na apuração da prática de fraudes em licitações, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Os mandados foram cumpridos nas cidades de Beberibe, Aracati, Fortim e Fortaleza. As buscas e apreensões aconteceram em residências particulares, na sede de uma empresa e na Secretaria de Educação Municipal.

A suspeita é que por meio de um contrato de dispensa de licitação, a empresa envolvida realizasse serviços de administração e gerenciamento da manutenção preventiva e corretiva de veículos, destinados aos transportes escolares que compõem a frota da Secretaria de Educação.

O Ministério Público afirmou que a investigação revelou indícios de superfaturamento na aquisição de peças e prestação de serviços de manutenção de veículos. Conforme foi apurado, algumas das prestações de serviços, sequer, existiam.

Afastamento

No Município de Tauá, no Sertão dos Inhamuns, foi deflagrada a 'Operação Pela Estrada Afora'. Conforme o MPCE, foram cumpridos mandados de busca e apreensão e gestores públicos foram afastados dos cargos. As medidas cautelares foram decretadas pelo Juízo da 2ª Vara da Comarca de Tauá.

A determinação judicial atendeu a requerimento da Promotoria de Justiça do Juizado Especial de Tauá, que investiga fraudes em processos de licitação e dispensas licitatórias no serviço de transporte escolar de alunos da Cidade. O MP divulgou que, como resultado desta diligência, foram apreendidos documentos na Secretaria de Educação e de Finanças, na Comissão de Licitação e nas residências dos alvos. Além disso, foram afastados das funções públicas a secretária de Educação de Tauá, Maria Gertudes Mota; a ordenadora de despesas da mesma Pasta, Edite Luíza da Silva Ló; e o secretário do Gabinete do Prefeito de Tauá, Antônio Alberto Mota.

Os mandados judiciais foram cumpridos por promotores de Justiça das Comarcas de Tauá, Crateús, Boa Viagem, Canindé e Itatira, além de membros da Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap), com apoio de policiais civis e militares.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.