ataques na capital

Motoristas relatam tensão; SSPDS garante reforço

No Parque Manibura, criminosos atiraram contra a fachada do Banco Itaú. Ninguém ficou ferido. Os acusados não foram identificados ( Foto: Natinho Rodrigues )
01:00 · 27.03.2018

Fortaleza começou a semana assustada com a onda de ataques criminosos registrada no sábado (24) e no domingo (25) e precisando retomar a rotina. Motoristas e cobradores dos ônibus municipais reclamaram principalmente da falta de escolta policial para os coletivos. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) garantiu que o efetivo designado para a segurança do transporte público segue reforçado.

A reportagem visitou os terminais do Papicu e da Parangaba, na manhã de ontem, e não presenciou nenhum veículo sendo escoltado pela Polícia. "Tem policiais no terminal, mas não está tendo nenhuma escolta", gritou um motorista.

> Detento ordenou ataque à Ciops

Uma usuária do transporte coletivo, que não quis se identificar e estava ao lado da sua filha adolescente, disse que temeu sair de sua residência. "Temos que seguir a nossa vida. A gente tem medo, mas acredita em Deus", ponderou. Um estudante, que também preferiu não se identificar, afirmou que não estava com medo, mas também não tinha visto policiamento adicional. "A minha rota, normalmente, é tranquila", alegou.

A SSPDS ressaltou, em nota, que "desde o último sábado (24), a Polícia Militar do Ceará (PMCE) reforçou o policiamento, com apoio da Guarda Municipal de Fortaleza, no tocante a coletivos e corredores onde há o tráfego de veículos do transporte urbano da Capital.

Governador

Ontem, o governador Camilo Santana visitou, em Fortaleza, a 3ª Companhia do 5º BPM, no Cristo Redentor, o 7º DP (Pirambu), o Quartel do Corpo de Bombeiros (Jacarecanga) e a Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), localizada na Avenida Leste-Oeste.

Acompanhado do secretário da Segurança Pública, André Costa, o governador parabenizou e agradeceu o empenho dos profissionais de segurança pelo trabalho realizado nos últimos dias na Capital. Além disso, Camilo Santana reforçou o apoio e a confiança na tropa.

Com relação ao reforço para evitar novos ataques, a SSPDS acrescentou que policiais em motocicletas e viaturas estão distribuídos em rotas mapeadas pela Etufor e pelo Sindiônibus e que o policiamento foi reforçado nos terminais e garagens dos ônibus. Além disso, duas aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) estão sobrevoando as áreas pré-definidas pelos órgãos responsáveis, segundo a Secretaria.

De acordo com a SSPDS, seis ônibus foram incendiados em ações criminosas, durante o fim de semana, na Capital, sendo um na Avenida Leste Oeste; dois na Praça Coração de Jesus e um na Avenida Imperador, no Centro; um na Avenida G do bairro Vila Velha; e um na Avenida Perimetral, no José Walter.

Além dos coletivos, foram registrados mais atentados a fogo no Estado: no prédio da Ciops em Sobral; na Secretaria Executiva Regional IV da Prefeitura de Fortaleza; em um depósito de veículos da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) de Cascavel; em duas torres de telefonia na Capital (nos bairros Jardim Iracema e Lagoa Redonda); e em um veículo em frente ao 20° DP (Acaracuzinho), da Polícia Civil.

Veículos e prédios institucionais também foram alvejados a tiros por criminosos. Os alvos: dois ônibus, o prédio da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus); o 18º Juizado Especial; a Etufor; e uma agência bancária, no Parque Manibura.

Por conta do ataque, registrado na noite de domingo, o banco Itaú, localizado na Av. Washington Soares, suspendeu as atividades, ontem. Um funcionário do banco, que não quis se identificar, disse que a medida foi tomada pelo setor de segurança da empresa. Dezenas de clientes foram ao local e se surpreenderam com a agência fechada.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.