Morte de radialista foi encomendada - Polícia - Diário do Nordeste

caso esclarecido

Morte de radialista foi encomendada

07.07.2013

A Polícia identificou e capturou o mandante e os pistoleiros suspeitos de eliminar Mafaldo Bezerra, em Jaguaribe

Cinco meses após o assassinato do radialista Mafaldo Bezerra Goes, na cidade de Jaguaribe (300Km de Fortaleza), a Polícia Civil conseguiu esclarecer totalmente o caso e identificou todos os implicados no crime. Para as autoridades responsáveis pela investigação não restam mais dúvidas de que o homicídio caracterizou-se como uma pistolagem e foi motivado pelas atividades profissionais da vítima.

O delegado regional de Polícia Civil de Jaguaribe, Edmar Beserra Granja, apurou o crime e chegou aos três implicados em menos de cinco meses FOTO: CID BARBOSA

Mafaldo foi executado quando seguia de casa para a emissora de rádio que trabalhava, na manhã do dia 22 de fevereiro último. Ele sofreu uma emboscada e não teve chance mínima de se defender. No trajeto para a rádio, foi atacado por bandidos que estavam em uma motocicleta, tendo recebido tiros de pistola à queima-roupa.

Identificação

Na época, o crime teve ampla repercussão e o secretário da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Francisco José Bezerra Rodrigues, determinou que a Coordenadoria Integrada de Inteligência (Coin), a Polícia Civil e a PM trabalhasse em conjunto e de forma articulada para que o caso fosse logo esclarecido. "Não iremos admitir, de forma alguma, atentado contra a liberdade de expressão e o trabalho da Imprensa", disse Bezerra.

Coube aos delegados Edmar Beserra Granja e Vera Lúcia Granja presidir o inquérito sobre o episódio.

Logo, a Polícia descobriu que a morte de Mafaldo Bezerra foi ´encomendada´ pelo chefe de uma quadrilha que vinha sendo denunciada pelo radialista em seu programa diário. O bando vinha protagonizando assaltos, homicídios e tráfico de drogas naquela região do Interior.

O primeiro bandido a ser preso como implicado no crime foi identificado como Gleidson José da Silva Lima, vulgo ´Limoeiro´, que seria um dos dois pistoleiros que eliminaram o radialista. Ele foi capturado na localidade de Batoque, na zona rural do Município de Alto Santo (241Km de Fortaleza), no dia 11 de abril último. Com Gleidson, a Polícia apreendeu, pelo menos, três armas de fogo, sedo dois revólveres de calibre 38 e uma escopeta calibre 12. O acusado também estava de posse de uma motocicleta que havia sido roubada na cidade de Jaguaretama. Para chegar ao bandido, a Polícia cearense contou com a ajuda da delegacia de Polícia da cidade de Paus dos Ferros (RN). Na semana passada, a equipe da Delegacia Regional de Jaguaribe identificou os outros dois suspeitos do caso, entre eles, o bandido que seria o mandante do assassinato do radialista.

O mandante

Trata-se de Dyones Nunes Soares, o suposto autor intelectual do caso. Ele está recolhido na Casa de Privação Provisória da Liberdade III (CPPL III), em Itaitinga. Contra ele foi expedido um mandado de prisão preventiva. Dyones teria ordenado a morte do comunicador por ser o chefe da quadrilha que estava sendo denunciada no rádio.

Dyones Nunes Soares foi apontado como o mandante do crime que vitimou o radialista fotos: divulgação
Gleidson José da Silva, o ´Limoeiro´, foi apontado como um dos pistoleiros que executaram a emboscada fatal
Matheus Pereira de Aquino, o ´Pequeno´, era menor de idade quando participou do brutal assassinato

Também foi identificado pelas autoridades o segundo pistoleiro, que, na época do crime, era menor de idade, mas já passou à maioridade penal. Trata-se de Matheus Pereira de Aquino, o ´Pequeno´. Conforme o delegado Edmar Beserra Granja, juntamente com ´Limoeiro´, ele teria eliminado a vítima a mando de Dyones Nunes Soares. Com a identificação e prisão dos três implicados, a Polícia acredita ter esclarecido o caso totalmente e encerrou as investigações.

O segundo

Mafaldo Bezerra foi o segundo radialista vítima de assassinato na região do Vale do Jaguaribe em 10 anos. O primeiro caso aconteceu em 2013, quando o locutor e apresentador Nicanor Batinha Linhares foi executado dentro do estúdio da emissora de rádio onde ele apresentava, diariamente, um programa político e policial.

A morte de Nicanor aconteceu na noite de 30 de junho de 2003. Ele foi atacado por, pelo menos, dois pistoleiros e fuzilado sumariamente. Parte da quadrilha já foi condenada. Os mandantes não. A família dele ainda luta por justiça.

Protagonistas

Comunicadores foram vítimas de crimes violentos

No dia 22 de fevereiro passado, o radialista Mafaldo Bezerra Goes foi executado, a tiros, na cidade de Jaguaribe (300Km de Fortaleza). Ele caminhava de sua residência para a emissora de rádio onde trabalhava. A Polícia descobriu que o crime deveu-se às constantes denúncias que Mafaldo fazia em seu programa de rádio, sobre a atuação de uma quadrilha ligada a assaltos e tráfico de drogas em Jaguaribe e outras cidades daquela região. Três implicados já foram identificados pela Polícia.

No dia 30 de junho de 2003, o radialista Nicanor Batista Linhares foi assassinado, com vários tiros de pistola, dentro da emissora de rádio que ele trabalhava, na cidade de Limoeiro do Norte (194Km de Fortaleza). As investigações policiais revelaram que o crime estava ligado diretamente às denúncias que Linhares fazia à administração daquele Município. Os autores materiais do crime, isto é, os pistoleiros, foram condenados. Os mandantes estão impunes.

FERNANDO RIBEIRO
EDITOR DE POLÍCIA

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999