Latrocínio de estudante

Líder da quadrilha rompeu tornozeleira no dia do crime

01:00 · 18.04.2018
Rodrigo Barbosa
Segundo a SSPDS, a ação criminosa foi idealizada por Rodrigo Barbosa. Ele cumpria medida cautelar por roubo

O sétimo suspeito de participar do latrocínio que vitimou a estudante de Direito Cecília Rachel Gonçalves Moura se apresentou, ontem, na sede da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e foi preso. Rodrigo Barbosa de Moura, de 29 anos, seria o mandante do crime ocorrido na manhã da última quinta-feira (12), no Parque Manibura.

Rodrigo Barbosa era o único do bando a estar foragido. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o membro da quadrilha tinha passagem por roubo de veículo. A Pasta afirmou que Moura conduzia o automóvel que deu cobertura ao grupo criminoso e teria idealizado a ação.

Nessa segunda-feira (16), a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) comunicou ao juiz da 15ª Vara Criminal que Rodrigo Barbosa de Moura havia sido beneficiado com liberdade provisória e cumpria medidas cautelares com monitoramento eletrônica desde o 11 de janeiro de 2018.

Porém, desde o dia 12 de abril deste ano, data do assassinato da universitária, a Central de Monitoração Eletrônica não havia mais registrado sinal de GPS do equipamento, indicando que o homem bloqueou os sinais da tornozeleira eletrônica. O documento mostra que a última localização de Rodrigo Barbosa foi no bairro São João do Tauape, a cerca de cinco quilômetros do local da ação criminosa.

A Sejus também informou que buscou contato com Rodrigo Barbosa por telefone, mas não teve as ligações atendidas. No comunicado ao Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), a Pasta acrescentou que a tornozeleira que estava em posse dele ainda não foi recuperada.

Hoje, segundo a SSPDS, serão repassados mais detalhes acerca do envolvimento de Rodrigo Barbosa no latrocínio.

Envolvidos

Dentre os demais capturados pelo crime contra a estudante, um outro suspeito também já tinha utilizado tornozeleira eletrônica. Leonardo Lima do Nascimento, 22, fazia uso do equipamento devido ao crime de tráfico de drogas. Ele foi preso em posse de comprimidos de rivotril.

Conforme os autos, por razão de problemas técnicos na tornozeleira, desde o dia 25 de fevereiro de 2018, não estava mais com o equipamento. No dia 1º de março, Leonardo Lima teria comparecido à sede da Sejus e informado a situação. Devido às medidas cautelares já terem sido integralmente cumpridas dentro do prazo de seis meses, ele teve revogado o uso do dispositivo.

Também foram presos pelas polícias Civil e Militar: Antônio Honorato Pinheiro Macedo Filho, 18; Geanderson da Silva Barbosa, 21; Jeferson de Sousa Rodrigues, 24; Jéssica Ferreira Oliveira, 26; e Antônia Alexandra do Nascimento, 37. Segundo a investigação, Geanderson da Silva, conhecido como 'Magão', foi o autor do disparo.

A arma utilizada teria sido alugada por Jeferson de Sousa, sob a promessa de ele ficar com metade do arrecadado nas ações criminosas do bando. Jéssica seriam quem informava aos suspeitos sobre ações policiais na rua.

O delegado titular do 13º DP (Cidade dos Funcionários), Hélio Marques, disse que a quadrilha era especializada em roubar veículos nos bairros Cidade dos Funcionários, Edson Queiroz, Parque Manibura e Sapiranga Para a Polícia Civil, com as prisões, o crime está elucidado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.