MILÍCIA NO CENTRO

Instalada comissão para expulsar oficial

05:30 · 24.01.2011
Governador Cid Gomes quer apuração rigorosa contra tenente que daria proteção à quadrilha que fabrica produtos ´piratas´

Uma comissão formada por três oficiais da Polícia Militar, denominada de Conselho de Justificação, terá prazo de 50 dias para definir a expulsão do tenente da PM, Jairo da Silva, o ´Jairo Robocop´.

Ele é o militar acusado de comandar uma milícia que daria proteção aos comerciantes de produtos ´piratas´ no Centro de Fortaleza. O grupo armado estaria fazendo ameaças de morte aos fiscais da Prefeitura, bem como, à própria secretária executiva da Regional do Centro, Luíza Perdigão.

A ordem para que fosse instalado o Conselho de Justificação partiu diretamente do governador do Estado, Cid Gomes; e do secretário de Segurança Pública, coronel Francisco Bezerra. O Conselho já está instalado desde o último dia 19, quando o ato foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE).

Compõem o Conselho um tenente-coronel, Geovani Pinheiro da Silva, comandante da 3ª Companhia do 6º BPM (Maracanaú); e dois majores, Gilberto Firmino de Sousa, da 1ªCia/5ºBPM (Aldeota), e Raimundo Nonato Ramos, da 5ªCia/5°BPM (Centro).

Excluir

Expulso da PM quando tinha a patente de cabo, Jairo ´Robocop´, acusado de envolvimento em falsificação de documentos, ingressou com recurso na Justiça e obteve sucesso. O Judiciário não só mandou que o Estado o reintegrasse à corporação, assim como ordenou que ele recebesse todos os salários correspondentes ao tempo em que ficou fora da tropa, e mais, que fosse promovido a todos os postos ao qual teria alcançado se não houvesse sido excluído. Assim, o cabo Jairo transformou-se em oficial da PM.

Na eleição passada, Jairo foi candidato a deputado estadual pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN), obtendo apenas 661 votos e não foi eleito. No seu registro de candidatura no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o militar declarou ter como bens dois imóveis, uma casa no bairro Monte Castelo (no valor de R$ 10 mil) e um terreno com casa na Estrada do Fio (valor de R$ 20 mil).

Expulsão

Por determinação do secretário da Segurança Pública, o superintendente da Polícia Civil, Luiz Carlos Dantas, já determinou também a instauração de inquérito policial para apurar as denúncias de que o oficial da PM estaria comandando a milícia que dá segurança aos chefes de quadrilhas responsáveis pela produção e venda em grande escala de CDs e DVDs falsos no Centro de Fortaleza. Jairo chegou a apresentar-se espontaneamente no 34º DP (Centro) para ser ouvido acerca do fato.

Os três oficiais que compõem o Conselho de Justificação ouvirão o PM investigado assim como as pessoas que teriam sido ameaçadas. Na justificativa para a abertura do Conselho, o governador baseou-se no relatório produzido pela Corregedoria Geral dos Órgãos da Segurança Pública que sugeriu a unificação processual e a instalação do Conselho considerando que, "as condutas supostamente praticadas pelo denunciado são incompatíveis com a sua permanência no serviço militar".

Confisco

97 mil produtos falsificados, entre DVDs e CDs, foram apreendidos desde a última sexta-feira. No fim de semana, a PM localizou mais 25 mil discos ´piratas´ no Centro e na feira da Jurema.

FERNANDO RIBEIRO
EDITOR DE POLÍCIA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.