Investigação

Homem tenta sair de facção e acaba morto por 'colegas'

De acordo com a Polícia, Carlos Henrique Pereira Santos, o 'Cabeção' (esquerda), matou Francisco Ricardo Rodrigues de Lima Júnior, o 'Papada'
01:00 · 14.11.2017

Uma divergência interna na facção Guardiões do Estado (GDE) provocou a morte de um integrante e a prisão de outros três suspeitos de planejarem a execução de Francisco Ricardo Rodrigues de Lima Júnior, o 'Papada', assassinado a tiros no dia 30 de setembro último, no bairro Farias Brito. A vítima, que segundo a Polícia, já tinha passagem por homicídio e atuava como traficante de drogas, teria sido assassinada após mostrar intenção de sair do grupo criminoso.

Por discordar da possível saída, um dos líderes do comércio de entorpecentes, Nilson Lopes Saraiva, o 'Nilsin', ordenou o assassinato da vítima. Apontado pela investigação como mentor intelectual do crime, o suspeito autorizou que dois comparsas colocassem o plano em prática. Carlos Henrique Pereira Santos, o 'Cabeção', e Leandro Lima da Silva, conhecido como 'Corcoram', são os autores dos disparos. Todos eles afirmaram ser da GDE.

Em entrevista coletiva na manhã de ontem, os detalhes da investigação foram repassados pela Polícia. "O Nilsin pediu para eliminar o 'Papada'. Ele contratou o 'Cabeção', que foi o primeiro executor dos disparos. Logo após, o Leandro Lima compareceu ao local do crime e atirou mais duas vezes na cabeça da vítima", detalhou em entrevista a delegada Patrícia Sena, titular da 4ª Delegacia da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

No dia em que o homicídio foi consumado, Francisco Ricardo (Papada) conversava na rua com outras três pessoas, sem antecedentes criminais. Elas também foram atingidas pelos tiros, mas não morreram.

Uma delas chegou a ser levada ao Instituto Doutor José Frota (IJF). Ao chegar à unidade de saúde, ela foi surpreendida com a presença de Carlos Henrique, que também havia dado entrada na emergência do hospital com um disparo. Vítima e executor estiveram no mesmo leito de observação.

Antecedentes

À Polícia, Carlos Henrique Pereira Santos, alegou que estava em uma calçada acompanhado de um vizinho quando foi alvejado por um veículo que passava nas proximidades. "Eu questionei por quê ele não tinha feito Boletim de Ocorrência (B.O) para a gente poder fazer a investigação. Ele disse que 'não', porque como ele tinha antecedentes, achou melhor não procurar a Delegacia", ponderou a delegada Patrícia Sena.

As apurações concluíram que o trio foi o responsável pela execução. Nilson Lopes Saraiva foi preso no dia 27 de outubro último pela Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD). Leandro Lima da Silva por equipes do 3º DP (Otávio Bonfim), enquanto Carlos Henrique Pereira Santos foi detido por policiais da DHPP em cumprimento a um mandado de prisão, no dia 9 de novembro. 'Nilsin, Corcoram e Cabeção', respectivamente, foram indiciados por homicídio e por tentativa de homicídio.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.