SEGURANÇA

Força Nacional deve chegar neste mês, diz SSPDS e PF

Os trabalhos dos policiais da Força Nacional serão coordenados pelo superintendente da PF no Ceará, Delano Bunn ( Foto: JL Rosa )
01:00 · 10.02.2018

O reforço da Força Nacional para combater a violência no Ceará, medida de urgência prometida durante a reunião entre o governador do Estado, Camilo Santana e o presidente da República Michel Temer, no último dia 30, em Brasília, deve acontecer ainda neste mês.

A afirmação acerca do prazo foi dada, nessa sexta-feira (9), pelo secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa, durante coletiva de imprensa para apresentação dos índices de crimes no mês de janeiro de 2018. O superintendente Regional da Polícia Federal no Ceará, Delano Cerqueira Bunn, confirmou a data limite e reiterou que a chegada está sendo tratada pelo Ministério da Justiça com a direção geral da Polícia Federal.

LEIA AINDA
> Índice de homicídios no Ceará cresce 38,1%
> Chefe do tráfico do 'Gereba' é preso
> População carcerária chega a 28.151 e atinge recorde

"Temos uma data marcada. Estamos fazendo um ajuste fino para realizar esse trabalho da melhor forma. É um projeto piloto que o Ceará vai receber. Aqui foi escolhido porque foi identificado pela Polícia Federal que no nosso Estado há uma maior integração entre as forças e entre as inteligências, não só da Secretaria da Segurança Pública", disse André Costa.

Investigação

Delano Bunn lembra que a SSPDS acompanha de perto o processo de chegada da equipe da Força Nacional porque, eventualmente, o trabalho será integrado com investigações anteriores da Polícia Civil do Estado.

O superintendente da PF no Ceará afirmou que o reforço é uma resposta do Governo Federal após a Chacina das Cajazeiras, registrada no último dia 7.

"Queremos fazer um trabalho de forma sigilosa. Essa equipe será coordenada pessoalmente por mim. Não há um prazo definido para a permanência", disse Bunn. Já o secretário André Costa acrescentou que "a ideia é que esse seja um trabalho contínuo, e não algo feito apenas para apagar incêndio".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.