Criminalidade

Filhos sofrem com ausência das mães

01:00 · 03.09.2018

Quando as mulheres se envolvem com a criminalidade, na maioria das vezes, o atual ou ex-companheiro também tem ligação e pode estar preso ou morto. As pessoas mais prejudicadas pelo ingresso delas neste "mundo do crime" são os seus filhos, segundo os especialistas ouvidos pela reportagem.

Esquecidas e rejeitadas pelos familiares e pelo poder público, crianças e adolescentes podem buscar morada na rua e precisam encontrar, desde muito cedo, uma maneira para se sustentar. No meio do caminho, mais violência é encontrada. Essa realidade foi mostrada na reportagem "Órfãos da guerra das facções", publicada pelo Diário do Nordeste em abril deste ano.

Leia também:

> Violência eleva números de mulheres mortas e presas

As retirada das mulheres-mães do lar familiar, por algum crime, são mais sentidas que a saída dos homens-pais, na vida dos filhos. "Quando elas são presas ou mortas, geralmente, não é o pai quem vai criar essa criança. Ele já foi morto ou preso antes", reforça a diretora da DCTD, Socorro Portela.

Educação

O sociólogo Geovani Jacó aponta que o caminho para reduzir os abandonos dessas crianças e adolescentes é aumentar o investimento em educação e políticas públicas: "Se investe em arma e não se investe no social, na educação, no acolhimento, desenvolvimento, programas sociais, o ciclo de violência continua".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.