SEM CONTROLE

Facções avançam e travam guerra no Ceará

A briga entre Comando Vermelho (CV) e Guardiões do Estado (GDE) causou um pico no índice de homicídios

A comunidade do Lagamar é dividida por um trilho. GDE e CV não podem ultrapassar o limite estabelecido
01:00 · 16.06.2017

O poderio das facções há muito ultrapassou os muros dos presídios e ganhou as ruas do Ceará. O número de mortes alarmante contabilizado neste ano (1.824 assassinatos de janeiro a maio) denunciam que alguma coisa atípica está acontecendo. Diversas autoridades da segurança pública já se manifestaram dizendo que a maioria das execuções são causadas por brigas de facções. A cada confronto, a situação fica mais séria e até uma criança já morreu na guerra travada entre Comando Vermelho e Guardiões do Estado (GDE).

"Essas facções conseguiam viver amigavelmente e compravam droga dos mesmos fornecedores. Houve um racha nacional que refletiu aqui. Os territórios estão sendo novamente conquistados e eles estão brigando para ver quem consegue tomar mais áreas para traficar. A marca do Comando Vermelho (CV) é a violência e eles estão fazendo isso com toda força no Ceará. Por isso as decapitações, chacinas, linchamentos. Querem impressionar pela crueldade", disse uma fonte da inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Um servidor da Polícia Civil afirmou que está havendo um 'investimento' nacional das facções no Ceará. "o mercado do tráfico aqui é muito promissor, pela proximidade com a Europa. O Comando Vermelho nacional tem mandado muita arma e muita droga para colocar na rua. Partiram para o confronto para tomar essas áreas dos rivais e estão realmente passando por cima de quem se opor".

Conforme a fonte da inteligência, as chacinas ocorridas na praia do porto das dunas e em horizonte foram investidas do Comando Vermelho. "no Porto das Dunas o alvo era o Davi Benigno, considerado o rei dos sintéticos, mas outros cinco foram executados; em Horizonte só uma pessoa era o alvo e outros quatro foram mortos, inclusive uma criança. Foi o CV também que tentou matar o 'João Presinha' com toda família dele, em Aquiraz. Ou seja, não estão ligando para consequências, querem intimidar o inimigo".

Um oficial da PM que trabalha na comunidade do Lagamar, comandada há mais de 20 anos por João Bosco da Rocha, o 'João Presinha', disse que a briga entre ele e o detento Rogério de Almeida Cury, o 'Bocão', já causou 17 mortes, só neste ano. "ambos são traficantes. O 'João Presinha' comanda o Lagamar e representa a gde; o Bocão comanda a Cidade de Deus e representa o CV. Até agora, a grande maioria dos mortos são da gde, mas dificilmente não haverá revide".

Em entrevista coletiva, concedida no último dia 9 de junho, o secretário da segurança pública, André Costa, assumiu que o estado enfrenta dificuldades, em relação ao número de homicídios. "os números falam por si só. É um momento difícil que passamos e não por falta de trabalho e empenho. Trabalho tem tido. São quase 50 prisões por dia no estado".

Importância

De 2016 até agora, representantes da cúpula das facções mais poderosas do Brasil foram localizados no Ceará: em 30 de março de 2016, Alejandro Herbas Camacho Júnior, irmão de 'Marcola', o líder máximo do Primeiro Comando da Capital (PCC), foi capturado pela Polícia Federal; em 21 de abril de 2017, Wayner Matos Magalhães, o 'Pepê', um dos líderes do Família do Norte (FDN), foi executado na Avenida Santos Dumont; em 24 de maio, o braço direito do traficante 'Fernandinho Beira-Mar', líder do Comando Vermelho, foi preso em operação da Polícia Federal; e em 4 de junho, Gilson Miranda Silva, um dos principais financiadores do sindicato do crime, foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O trânsito de pessoas com poder dentro das grandes organizações criminosas por aqui não parece ser coincidência. A fonte da inteligência que conversou com a reportagem revelou que depois da expansão das facções, o Ceará se tornou um dos estados mais importantes para o tráfico de drogas no Brasil.

"No Nordeste não tem nenhum estado que tenha mais importância para o tráfico que o Ceará. Podia ter sido diferente, mas até bem pouco tempo a estratégia era negar que existiam as facções. E não era negar para a população, mas para a própria polícia. Enquanto nós trabalhávamos fingindo que estávamos combatendo um crime aleatório, as facções ganhavam tempo e se estabeleciam aqui".

O servidor da SSPDS diz que o sistema penitenciário do Ceará também contribuiu para o fortalecimento das facções. "alguns detentos têm regalias lá dentro, o controle das tornozeleiras é falho, as penitenciárias não suportam a quantidade de gente que recebem. O sistema não tem condição de abrigar presos organizados, com um celular na mão e com dinheiro para mandar fazer o que bem entenderem".

Oficialmente, 93 detentos fugiram das grandes penitenciárias de Itaitinga, em 2017. A fonte da Polícia Civil reclamou da situação. "se a sensação de segurança nas ruas já não é das melhores, imagine com a quantidade de gente perigosa que está fugindo. É desanimador arriscar a própria vida para prender uma pessoa, que quebra um combogó e foge. A polícia tem feito sua parte e não tem culpa se os presos continuam tendo acesso a telefones celulares e vão embora quando querem".

Localizados aqui
 
Alejandro Herbas Camacho Júnior - irmão de 'Marcola', líder máximo do PCC, foi capturado pela PF, em 30 de março de 2016
 
Wayner Matos Magalhães, o 'Pepê - um dos líderes do Família do Norte (FDN), foi executado na Avenida Santos Dumont, em 21 de abril de 2017
 
Nome não divulgado - braço direito do traficante 'Fernandinho Beira-Mar', líder do Comando Vermelho, foi preso em operação da PF, em 24 de maio
 
Gilson Miranda Silva - Um dos principais financiadores do Sindicato do Crime, foi preso pela PRF, em 4 de junho

Famílias foram expulsas de casa

Image-0-Artigo-2256656-1
Segundo moradores comentavam no local do crime, o pedreiro foi morto, no São Miguel, porque se recusou a sair da própria residência (Foto: Naval Sarmento)

Um pedreiro de 30 anos, estava em casa, na noite do dia 6 de junho, quando homens armados invadiram a residência, localizada na Travessa Manhã, no Conjunto São Miguel e o executaram. "Era trabalhador e uma boa pessoa", conforme comentava a população no local do crime. Os policiais que atenderam a ocorrência diziam não saber ainda o motivo da execução.

No entanto, as pessoas que lamentavam a morte do pedreiro já sabiam que aquele era o cumprimento de uma 'sentença' do crime: a vítima seria parente de um criminoso da área e os rivais de seu familiar tinham dado ordens para que ele deixasse sua residência. O pedreiro disse que ficaria, não cumpriu o prazo dado pelos executores e no dia marcado pagou com a vida por não obedecê-los.

Pelo menos outras sete famílias precisaram deixar às pressas o Conjunto São Miguel, na semana passada, para não morrer. Saíram mesmo sem ter para onde ir, ou sem saber se estariam seguras em outra parte da Cidade. Foram apenas para não morrer hoje, agora. "Está havendo uma briga de facções. O que dizem na rua é que o Comando Vermelho não quer ninguém do outro lado aqui. Por isso, estão expulsando parentes ou pessoas que têm ligação com a outra gangue. Já mandaram mulher, criança, idoso irem embora. Não querem nem saber. Dizem que se não sair morre", disse uma moradora.

A mulher conta que, mesmo sem haver um toque de recolher oficial, os moradores entendem que devem estar em casa cedo. "Acontece muita coisa aqui de noite. Todo mundo tem medo de ter uma vingança e algum inocente ser atingido. Quando dá 20h as ruas estão desertas, todo mundo em casa. Dizem que a Polícia sabe o que acontece aqui. Não sei se tem denúncia oficial, porque ninguém tem coragem de fazer", afirmou.

Na Comunidade do Lagamar, imóveis também foram invadidos. "Eles matam o morador do imóvel que é ligado ao tráfico, expulsam a família dele e utilizam a casa como ponto de venda de droga", afirmou o oficial da PM lotado na área.

Conforme o policial, até áreas desapropriadas pela Prefeitura de Fortaleza estão sendo ocupadas e pontos de venda de droga estão sendo construídos, nas proximidades da Cidade de Deus. "É uma área que o BPChoque já desocupou uma vez, mas agora estão voltando e montando pontos de tráfico".

Denúncia

A respeito da expulsão de famílias de suas casas por criminosos, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), informou em nota, que "não tolera esse tipo de conduta e, se as denúncias forem feitas, a Polícia vai ocupar as áreas com tropas especiais e investigação criminal dos setores de Inteligência do Sistema de Segurança". A Pasta disse também que "os casos que chegam ao conhecimento da Polícia são devidamente apurados" e solicita que as ocorrências sejam comunicadas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.