DESDE 2008

Ex-coronel da PMSP conhecia piloto do PCC

01:00 · 17.05.2018

O piloto suspeito de envolvimento com as mortes dos chefes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), Rogério Jeremias de Simone, o 'Gegê do Mangue', e Fabiano Alves de Souza, o 'Paca', em fevereiro deste ano, já teve relação próxima com um ex-coronel da Polícia Militar de São Paulo (PMSP). Em 2008, Felipe Ramos Morais, 31, abriu uma empresa com a filha do subcomandante Edson Luiz Gaspar, segundo o portal de notícias G1.

O ex-coronel dava coordenadas a mais de 400 policiais e respondia por quase 30 aeronaves do Grupamento de Radiopatrulha Aérea da PM. Aos 19 anos, a filha dele, Tamires Correa Gaspar, abriu uma empresa em sociedade com Felipe, então sócio e administrador da G. F. Assessoria Aeronáutica Ltda.

Tamires Correa Gaspar respondia como sócia. Conforme registro na Junta Comercial de São Paulo, Felipe foi retirado da sociedade em março de 2017, sendo substituído por Edson Gaspar, agora aposentado. Conforme a reportagem do G1, os dois homens ficaram amigos numa rede social em março de 2012.

As iniciais G e F também estão na G. F. Helicópteros, outra empresa pertencente a Felipe Ramos Morais, que tem quatro helicópteros - dois deles envolvidos no tráfico de drogas. A mãe e a irmã do piloto têm uma terceira empresa: a G. F. Táxi Aéreo.

Portando documentos falsos, Felipe foi preso na última segunda-feira (14), suspeito de participar da morte dos líderes do PCC. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo disse que o Departamento de Investigações Criminais (Deic) está apurando a relação entre o piloto e o ex-coronel.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.