Parque Manibura

Estudante universitária é morta com tiro na cabeça

A reportagem apurou que a Polícia Civil tem duas linhas de investigação para o caso: latrocínio (roubo seguido de morte) ou execução.

01:00 · 13.04.2018 / atualizado às 09:32
Assassinato
Após ser baleada, ela perdeu o controle do automóvel, que chocou-se contra um muro. Ela foi levada ao IJF, mas morreu ( Foto: VC Repórter )

Uma estudante universitária, identificada como Cecília Rachel Gonçalves Moura, 23, morreu ontem horas após ser atingida na cabeça por um disparo de arma de fogo. O crime aconteceu durante a manhã, na Rua Vereador Pedro Paulo, no bairro Parque Manibura. Conforme apurado pela reportagem, a vítima teria sido baleada instantes após ter reagir a um assalto.

De acordo com a Polícia Civil, a estudante - que estagiava no Ministério Público Federal (MPF) e no Ministério Público Estadual (MPCE)- estava conduzindo um veículo quando foi abordada e lesionada a bala. Após ser baleada, ela perdeu o controle do automóvel, que chocou-se contra um muro. A jovem foi levada em estado gravíssimo ao Instituto Doutor José Frota (IJF). Na noite de ontem, a assessoria do hospital confirmou a morte de Cecília.

Prisões

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou que a Polícia Civil prendeu, na tarde de ontem, dois suspeitos de terem cometido o crime. A dupla foi detida na Rua Capitão Gutemberg, no bairro Cidade dos Funcionários. Os nomes dos suspeitos não foram divulgados.

A Pasta informou também que os policiais apreenderam o veículo utilizado pelos suspeitos, um Prisma de cor cinza, placa PXV-7642. O caso foi levado ao 13º Distrito Policial e, em seguida, transferido para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A reportagem apurou que a DHPP trabalha com duas linhas de investigação para o caso: um possível latrocínio (roubo seguido de morte), mas também não descarta uma execução.

Pesar

O MPF e MPCE divulgaram notas de pesar pelo assassinato. O Ministério Federal informou que Cecília havia iniciado estágio na Procuradoria da República no Ceará no último dia 17 de janeiro. Desde então, atuava no Núcleo Criminal da instituição.

"O MPF é grato pela dedicação e comprometimento da estudante universitária durante os três meses de estágio e se solidariza com familiares e amigos neste momento de profunda tristeza". Já o MPCE afirmou que os servidores se solidarizam, "numa manifestação de profundo pesar, com familiares e amigos da estagiária da 3ª Promotoria de Justiça Auxiliar do Crime".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.