VIOLÊNCIA

Dupla atira contra casal e um bebê

00:42 · 30.04.2008
( )
Mais um assalto do tipo seqüestro-relâmpago, nas ruas de Fortaleza, terminou em tiroteio entre bandidos e policiais. Um casal e seu filho, de nove meses, foram atacados por dois bandidos, armados com revólveres. As vítimas foram surpreendidas quando transitavam em seu carro, um Gol , pela Rua Ribeiro da Silva, no bairro Monte Castelo.

Segundo o relato da esposa do comerciante Alexandre Hibernon Vasconcelos, 36, os ladrões chegaram a disparar três tiros contra o veículo, obrigando a parar. Em seguida, a mulher conseguiu descer com o bebê nos braços e o marido tentou sair também, mas não conseguiu. Alexandre, segundo sua esposa, teria sido atingido pelos disparos e foi levado por um dos criminosos.

No momento em que os assaltantes iniciavam a fuga com o refém, se depararam com uma dupla de motopatrulheiros da 5ª Companhia do 5º BPM (Centro). Naquele momento, os policiais - soldados Markein e Armando - se dirigiam à solenidade de inauguração da nova sede da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, situada na Avenida Bezerra de Menezes.

No momento em que os PMs tentaram fazer a abordagem aos ladrões, um deles perdeu o controle da direção e o Gol colidiu com outro automóvel. Houve, então, um tiroteio entre eles e os militares, na Avenida Bezerra de Menezes, em frente a uma loja de artigos para recém-nascidos.

Prisão

Um dos assaltantes foi preso e o outro conseguiu fugir. O bandido capturado foi identificado como Antônio Sampaio da Cunha, 24. Em poder dele foi apreendido um revólver de calibre 38.

A Polícia descobriu que o parceiro de Sampaio é conhecido como ‘Zé Leizinho’. Os dois já respondeu por crimes. Sampaio foi levado para o 7º DP (Pirambu), e autuado, em flagrante, por tentativa de latrocínio, falsificação de documento público e uso de documento falso. O comerciante sofreu um tiro na coxa esquerda e outro, de raspão, no pescoço, mas não corre risco de morte.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.