Portaria

Delegacia da mulher passa a investigar crime sexual

01:00 · 06.12.2017

As atribuições das dez Delegacias de Defesa da Mulher (DDM) espalhadas pelo Ceará foram ampliadas. Desde ontem, conforme o Governo do Estado, as especializadas passaram a atuar em todos os casos de violência sexual contra as mulheres, exceto o tráfico de mulheres.

A principal diferença é que, agora, as mulheres são orientadas a denunciarem o crime na própria DDM. Antes, as vítimas eram direcionadas a denunciar em uma delegacia comum e as unidades da DDM encaminhavam os inquéritos para as delegacias das áreas onde aconteciam as ocorrências.

A Portaria que amplia as resoluções foi assinada após reuniões realizadas entre o Grupo de Trabalho das Delegadas de Defesa da Mulher do Gabinete do Governador e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Avaliação

Conforme o delegado geral da Polícia Civil, Everardo Lima, a assinatura reitera que a violência sexual contra a mulher exige um olhar diferenciado do poder público. Lima reforçou que a violência sexual contra o público feminino constitui grave problema de saúde pública.

A diretora do Departamento de Polícia Especializada da Polícia Civil e responsável pelas Delegacias de Defesa da Mulher do Estado, delegada Rena Gomes, afirmou que, na DDM, as mulheres terão atendimento direcionado e que vise a minimizar as consequências do crime. "A violência sexual demanda diversas providências por parte das autoridades", reforçou Rena.

Já a titular da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para as Mulheres do Ceará, Camila Silveira, acrescenta que a conquista é importante para a contribuição do trabalho junto à rede de enfrentamento de violência contra as mulheres.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.