balanço parcial

DCTD apreende 35Kg de drogas e detém 14 pessoas

01:00 · 13.09.2017
Image-0-Artigo-2295970-1
As diligências que resultaram nas apreensões de entorpecentes aconteceram em diversos bairros da Capital e na Praia do Icaraí, no Município de Caucaia

Do dia 1º de setembro até essa segunda-feira (11), a Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) apreendeu, aproximadamente, 35 quilos de drogas e deteve 14 suspeitos, incluindo dois adolescentes. O balanço parcial foi apresentado, ontem, na sede da Divisão, no bairro de Fátima. Conforme a diretora da DCTD, delegada Patrícia Bezerra, o resultado das operações realizadas em 11 dias também inclui a apreensão de quatro armas de fogo.

As diligências aconteceram na Capital, no Conjunto São Cristóvão, Carlito Pamplona, Água Fria, Bela Vista, Alto da Balança e Mondubim; e no Município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), na Praia do Icaraí. "Todas as prisões são importantes. A de maior relevância foi realizada no bairro Mondubim. No último dia 6, prendemos quatro adultos e capturamos dois adolescentes. As quatro armas também foram encontradas lá. Eles cometeriam uma chacina, em Maracanaú", disse Patrícia Bezerra.

Os integrantes do grupo preso no Mondubim foram identificados como Francisco Alisson do Nascimento Costa, Luís Caio Barbosa de Sousa, Raimundo Rubens Melo Santos e Francisco Luan Lima Ribeiro. Sobre a possível chacina, o diretor adjunto da DCTD, delegado Lucas Aragão, detalhou que uma pessoa sofreu um atentado e contratou o grupo para matar seus inimigos.

"O revide aconteceria em Maracanaú. Os suspeitos estavam lá ganhando tempo e um nem conhecia o outro", disse Aragão.

Dentre as capturas, os representantes da DCTD também destacaram a prisão de um homem natural do Estado do Pará. Segundo Lucas Aragão, na segunda-feira (11), Francisco de Melo Fagundes Neto foi capturado no Icaraí, com maconha.

De acordo com a Polícia Civil do Ceará, no Pará havia três mandados de prisão em aberto contra Fagundes. Segundo a Divisão, o suspeito integra uma organização criminosa e é considerado perigoso pelas autoridades que o prenderam no Norte.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.