'Lagamar'

Carro blindado e arma são retidos

01:00 · 13.09.2017
Image-0-Artigo-2295885-1
Durante a perseguição, o bando abandonou o Civic blindado, que pertence a uma locadora de automóveis da Capital. Um adolescente foi apreendido no local

Um homem que fugiu da Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga, na manhã de segunda-feira (11), já liderou seis homens em uma tentativa de homicídio contra dois rivais, na Comunidade do 'Lagamar, no bairro São João do Tauape, na manhã de ontem. Um adolescente foi detido e um veículo blindado foi apreendido pela Polícia Militar.

De acordo com o comandante da 3ªCia do 8ºBPM (Meireles), major Hideraldo Bellini, os sete suspeitos, membros da facção criminosa Comando Vermelho (CV), trafegavam em um veículo Honda Civic blindado e encontraram dois integrantes da facção Guardiões do Estado (GDE).

O grupo do CV perseguiu a dupla da GDE, mas não conseguiu alcançá-la. Durante o confronto entre as facções, uma viatura da Força Tática do 22ºBPM passou pelo local e começou a perseguir a quadrilha.

Na Rua José Buson, o bando abandonou o Civic blindado, que pertence a uma locadora de automóveis da Capital. Um adolescente permaneceu no local e foi apreendido. No veículo, a PM também encontrou e apreendeu duas pistolas. Os seis comparsas do jovem fugiram em outro veículo, de cor prata, e seguem sendo procurados pela Polícia.

Segundo o major Bellini, o grupo do CV era comandado por um homem conhecido como 'Alan Dutê', que teria fugido da CPPL II, há dois dias. A Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) confirmou ter acontecido a fuga, mas não especificou quantos detentos escaparam.

Uma fonte da Sejus revelou à reportagem que, pelo menos, quatro internos fugiram da Rua C da Unidade. A CPPL II concentra presos ligados à facção Comando Vermelho.

Granada

Ainda conforme o major Bellini, o grupo que ontem foi comandado por 'Alan Dutê' teria participado de outra ação criminosa, na madrugada da última segunda (11), no 'Lagamar'. O alvo era a casa de um familiar de João Bosco da Rocha, o 'João Presinha', apontado como líder da GDE naquela região. Na investida, a quadrilha ligada ao CV arremessou uma granada contra a residência, mas o artefato não explodiu e acabou apreendido pela PM. Na sequência, o grupo executou a tiros um homem conhecido apenas como 'Cristiano'.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.