caucaia

Atividade de advogado teria motivado execução

01:00 · 13.07.2018
Erivaldo Rodrigues
Erivaldo Rodrigues foi morto dentro do próprio escritório, situado na Rua Félix Gomes da Silva, bairro Novo Pabussu, em Caucaia ( FOTO: SAULO ROBERTO )

A principal linha de investigação seguida pela Polícia Civil do Ceará, para a motivação da morte do policial civil aposentado, ex-vereador e advogado criminalista Francisco Erivaldo Rodrigues, 55, é que ele tenha sido assassinado devido a sua atuação na última função. Porém, outras hipóteses não são descartadas.

Segundo o escrivão Josenildo Menezes, da Delegacia Metropolitana de Caucaia, os investigadores estão analisando processos criminais em que Erivaldo Rodrigues atuou, nos últimos meses, e poderia ter desagradado alguma parte. A Polícia já chegou a alguns suspeitos e apura as evidências para chegar aos autores.

Algumas testemunhas do caso já foram ouvidas, outras devem prestar depoimento nos próximos dias. Imagens de câmeras de monitoramento também foram verificadas pelos investigadores, em ruas que circundam o local do crime. Com as informações levantadas nas primeiras horas após o homicídio, a Polícia descobriu que o veículo utilizado pelos criminosos foi um Fiat Siena, de cor preta, e a arma usada para matar o advogado foi uma pistola, calibre ponto 40.

Além de advogado criminalista, Erivaldo Rodrigues era policial civil aposentado, ex-vereador por Caucaia em três mandatos e dono de uma empresa de segurança particular. O escrivão Josenildo Menezes afirma que, até o momento, não foram encontradas desavenças causadas pela atuação política da vítima. "Ele era muito querido pelo povo", afirmou. Em relação ao trabalho como agente de Segurança, o escrivão ressaltou que a vítima já estava aposentada há mais de 10 anos.

Suspeito

Um dos suspeitos de matar o advogado é Alban Darlan Batista Guerra, o 'Pança, de 23 anos. Uma testemunha do crime, ocorrido na última terça (10), identificou o foragido da Justiça, na ação criminosa. O escrivão ouvido pela reportagem revela que já há um mandado de prisão em aberto contra Alban Darlan, por outro homicídio. Ele também é investigado por mais oito crimes de homicídio, tráfico e roubo. Informações das ocorrências anteriores apontam que ele é ligado à facção Comando Vermelho.

Erivaldo Rodrigues foi morto dentro do próprio escritório. Três homens chegaram em um veículo, no prédio situado na Rua Félix Gomes da Silva, bairro Novo Pabussu, em Caucaia, e efetuaram disparos de dentro do carro, contra o homem, que estava sentado em um sofá, na recepção do estabelecimento.

O alvo dos tiros foi a cabeça do advogado, que morreu no local. A PM foi acionada para a ocorrência e realizou diligências em busca dos suspeitos, mas ninguém foi preso até o fechamento desta matéria. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Ceará (OAB-CE), advogado Marcelo Mota, compareceu ao local do crime e afirmou que esse "é um crime contra a vida e contra o estado democrático de direito".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.