Reclusão

Acusado de executar delegado é condenado

00:00 · 19.05.2017

O acusado de matar o delegado de Polícia Civil Audízio Ferreira Santiago foi condenado a 27 anos e sete meses de reclusão. A decisão em desfavor de Danilo Andrade de Sousa, foi proferida na quarta-feira (17), pelo juiz Ricardo Emídio de Aquino Nogueira, titular da 3ª Vara Criminal de Fortaleza. Sousa foi responsabilizado pelos crimes de latrocínio, roubo com uso de arma de fogo e corrupção de menor.

De início, o criminoso deve cumprir a pena em regime fechado. Nos autos constam que o réu e uma adolescente mataram o delegado, no dia 15 de novembro de 2016. O caso aconteceu no bairro Maraponga. A vítima passeava com o filho e a nora quando foi surpreendida.

Na ocasião, o delegado reagiu e foi atingido por um disparo. A dupla fugiu do local do tiroteio sem roubar nada das vítimas e cometeu alguns assaltos mais adiante. O acusado foi detido, no bairro Jardim Iracema, um dia após o crime.

Quando detido, Sousa confessou o latrocínio. Para o juiz, a prática dos crimes que ensejaram a condenação é inquestionável, mesmo que a arma usada no roubo não tenha sido localizada.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.