Especial publicitário

Porta de entrada

Jovem Aprendiz

10:52 · 06.07.2018 / atualizado às 08:45 · 13.07.2018
Conseguir o primeiro emprego é uma grande conquista para muitos jovens. Conciliá-lo com os estudos, um desafio. Porém, graças a programas como o Jovem Aprendiz, adolescentes e jovens de 14 a 24 anos podem ser inseridos no mundo do trabalho, aprender e desenvolver competências sem abandonar a escola.
O programa se apoia na Lei 10.097/2000 que determina às empresas de médio e grande porte que contratem um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um
máximo de 15% do seu quadro de funcionários. O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na empresa, combinando formação teórica e prática. 
Para Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (EPP), a contratação de aprendizes é facultativa.
Para os jovens, o programa pode representar um momento de transição entre a escola e o trabalho, além de uma oportunidade de aprendizado e desenvolvimento da postura crítica e criativa. Outro aspecto é que quem ainda está indeciso quanto à carreira que quer seguir pode descobrir seus talentos na prática.
Desde fevereiro deste ano, a estudante Fernanda Uchôa (foto), de 18 anos, vive sua primeira experiência profissional como Jovem Aprendiz, em uma empresa de grande porte do setor de Comunicação de Fortaleza. Contratada para atuar na parte administrativa, reconhece o valor da oportunidade para sua carreira. “Minha experiência está sendo magnífica. Aprendo muito todos os dias. O primeiro emprego é uma experiência e tanto, além de ser uma responsabilidade nova, onde temos a oportunidade de conhecer o trabalho na  prática”, avalia. “Bom seria se todos os jovens tivessem essa oportunidade para somar seu desenvolvimento como profissional e ser humano”, considera.
 
COMO PARTICIPAR
Para participar do Programa Jovem Aprendiz, o candidato deve se cadastrar no Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). A seleção é por conta do empregador, como explica Edval Mendonça, Supervisor de Atendimento do CIEE. “O processo seletivo é realizado diretamente pelos parceiros do CIEE (empresas privadas e órgãos públicos). Entrevistas, dinâmicas de grupo e testes em geral são os mais comuns no processo seletivo”, informa. 
De acordo com Edval Mendonça, o aprendizado do jovem ocorre na rotina de trabalho e fora dela. “Além da prática na empresa ou órgão público, o CIEE promove a capacitação
do jovem através de encontros semanais em suas instalações, sempre apresentando temas e atividades relacionadas ao mundo do trabalho”, observa. Em geral, os setores que mais contratam jovens aprendizes são o comércio e a indústria.
Para Edval Mendonça, o jovem que entra na empresa por meio do programa pode ter a chance de efetivação. O interesse no aprendizado faz toda a diferença para o candidato.
“As chances de efetivação sempre  aumentam quando o jovem aproveita a oportunidade para aprender e se desenvolver em suas atividades”, argumenta.
 
SAIBA MAIS
 
CONTEÚDO PUBLICITÁRIO ESPECIAL
LOGOSENAI LOGO FIEC logo prefeitura logo sebrae

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.