Especial publicitário

Jovens de futuro

Programas de trainee

10:57 · 06.07.2018 / atualizado às 08:44 · 13.07.2018
Alta remuneração, possibilidade de começar uma carreira promissora, experiência e networking adquirido durante o processo: para os estudantes, um  sonho de vida; para os empreendedores, a chance de garimpar jovens diferenciados, proativos, com alto potencial de aprendizado, espírito de liderança e orientação para resultados. É nisso que acredita a Endeavor Brasil quanto aos programas de trainee, vistos como pontes que ligam jovens promissores e cargos estratégicos nas empresas.
O diferencial de outras formas de ingressar no mercado de trabalho é que o trainee passa por um programa de desenvolvimento que tem objetivo de prepará-lo para assumir uma posição de liderança na empresa, explica a equipe do estagiotrainee.com. E esse programa costuma ser voltado para jovens recém-formados com até quatro anos de formação
ou no último ano de graduação, variando a abrangência para pessoas entre 22 e 30 anos. 
Para Priscila Parente (foto), ex-trainee da M. Dias Branco, foi bastante vantajoso ter passado por esse processo. “Ele me proporcionou uma visão sistêmica do negócio, uma vez que passei determinado período de tempo em cada setor. Além disso, fizemos treinamentos técnicos e comportamentais. Tínhamos que fazer leituras direcionadas e relatórios periódicos. Também participávamos de eventos da área e de reuniões com gestores.  Vejo tudo isso como vantagem. Não são todos que têm a oportunidade de acesso aos treinamentos e vivências desse tipo”, conta a Analista de Processos Industriais III do grupo cearense.
 
COMO FUNCIONA
Os programas de trainee costumam ter de cinco a sete etapas, dentre as quais:
 
1) Inscrição: quando se avalia o perfil do candidato;
2) Avaliações on-line: incluem testes prévios de inglês e, às vezes, de português;
3) Dinâmicas de grupo: um dos mais importantes filtros para mensurar a postura social e a capacidade técnica de um aspirante a trainee;
4) Prova oral de inglês; 
5) Painel de negócios: em geral, é a primeira etapa em que os candidatos serão observados pelos diretores. Um case ainda mais complexo lhes serão apresentados, com tempo limitado para solução;
6) Entrevista (com diretores): muitas vezes, essa fase entra como critério de desempate. Será observado o nível de consciência do candidato acerca da organização, do mercado e das funções que irá exercer. 
Fonte: endeavor.org.br
 
 
DEPOIMENTO
APRENDIZADO INTENSO
"Acredito que cada um deve procurar uma empresa com a qual se identifique, em vez de ficar 'atirando para todo lado'. Deve estudá-la e entender como ela funciona em relação  aos valores. Se houver compatibilidade, com certeza, é algo que conta na seleção. Além disso, recomendo à pessoa ser autêntica durante a seleção. É comum pessoas quererem mostrar algo que não são para serem aprovadas. Mas, com pouco tempo na empresa, acabam vendo que os perfis (pessoa e empresa) não são semelhantes. Além disso,  recomendo aprender a trabalhar em grupo, pensar em grupo e não individualmente. Isso conta bastante antes e depois da seleção."
Fonte: Priscila Parente, Analista de Processos Industriais III e ex-trainee da M. Dias Branco.
 
CONTEÚDO PUBLICITÁRIO ESPECIAL
LOGOSENAI LOGO FIEC logo prefeitura logo sebrae

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.