Artigo

Tá difícil produzir

00:00 · 06.04.2018

Abrir uma empresa no Brasil nunca foi das tarefas mais fáceis. No entanto, nos últimos anos, tão difícil quanto abrir, tem sido se manter aberta. Na seara das contas de consumo temos a criação de bandeiras tarifárias, no caso da energia; temos a criação de tarifas de contingências, no caso da conta de água e esgoto; temos a criação de pacotes de internet limitada que nos damos por satisfeitos mesmo sem entender de onde vem tanta cobrança.

Na seara federal, temos os aumentos de impostos de gás de cozinha, de combustíveis, de energia. Na seara estadual, temos os aumentos de impostos como ICMS, ITCD, IPVA e a criação de um Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal para empresas que têm Benefícios Fiscais passarem a pagar mais 10% com base no benefício que obtém. Na seara Municipal, temos os aumentos de impostos ISS, IPTU e ITBI, bem como o aumento e a criação de taxas de serviços como a de Alvará de Funcionamento, que era por prazo indeterminado e agora será anual, com taxa mínima de R$ 230,00, para empresas com até 40m².

Além disso, temos que comprar, estocar, pagar impostos sem ter recebido a mercadoria, correr riscos de perdas, furtos e fraudes, recrutar, selecionar, contratar, demitir, pagar a folha e seus encargos, contador, advogado e não saber a qual sindicato ou federação atender. Corremos riscos de fiscalizações municipal, estadual e federal, tais como, autuações por agência de fiscalização da Prefeitura por não ter placa de atendimento prioritário, além de efetivamente termos atendimento prioritário... Por fim, "lucro". Ah! Já ía esquecendo das altas taxas de juros e tarifas bancárias.

Marcos Sá
Contador

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.