artigo

Simplificar

00:00 · 23.04.2018

Na sequência do tema da burocracia é possível considerar que os seus procedimentos e rotinas atrapalham tanto as empresas, como o cidadão comum - segundo estudos que abordam com propriedade a sua problemática. Considerando as reflexões em torno do tema, a maioria da população nativa considera o nosso País burocrático - segundo a sensação predominante de que o excesso de burocracia constitui estímulo à corrupção. A grande maioria dos nossos patrícios considera que a burocracia dificulta as relações com o aparelho estatal - contingente significativo entende que o governo não tem sido capaz de otimizar políticas que, efetivamente, alcancem a simplificação nas relações entre o público e o privado.

De outra parte, os estudiosos manifestam que o excesso de burocracia abre espaço para práticas não republicanas, assim como são unânimes em considerar que dificultam a competitividade. A análise desse contexto inclui os procedimentos burocráticos relativos à abertura e fechamento de empresas, obtenção de financiamentos públicos, relações com o fisco, emissão de certificados/licenças ambientais, etc. Do ponto de vista do público alvo, a maioria dos entraves está relacionada ao excesso de papelada nas relações com o estado - no acesso à Justiça, assim como nas relações na defesa do consumidor - serviços de água, luz, telefonia etc.

Segundo os dados, o principal impacto da burocracia no dia a dia, se reflete no aumento do custo da gestão - decorrente das estruturas não alinhadas diretamente à produção, assim como dos equívocos no cumprimento do seu contencioso administrativo, gerencial e judicial.

Cláudio Montenegro. Administrador

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.