artigo

Saudoso Neno

00:00 · 12.08.2017

Segunda-feira, 14 de agosto, faz um ano que o inesquecível jornalista Neno Cavalcante, aos 61 anos, partiu para a casa do Pai, deixando no coração de familiares, amigos e milhares de leitores, imensa saudade. O jornalismo cearense, o colunismo de opinião, sofreu grande perda e um vazio impreenchível. Nascido em Aurora(CE), registrado com o nome de José Nairton Quezado Cavalcante, "Neno" era um homem ético, independente e sincero, inteligente, educado e simples.

Com senso crítico aguçado, o humor o acompanhava em suas tiradas jornalísticas, peculiares, às vezes ácidas, mas sem cair na leviandade ou em ofensas quando escrevia sua coluna. Assim, despertava a simpatia de muitos segmentos mais sectários da política e da sociedade, ao mesmo tempo em que angariou milhares de leitores e ouvintes pela clareza, simplicidade de seus textos picantes, sempre em sintonia com os reclamos da sociedade, quando analisava a situação dos mais carentes e fracos.

Seu jeito próprio e direito de abordar os temas da atualidade oferecia aos leitores o retrato fiel do que acontecia no Brasil e no mundo. Neno era um jornalista da maior respeitabilidade. Não bajulava ninguém. Costumava dizer: "Há Jornalistas e jornalistas"... Entrou para a história do jornalismo cearense, com o célebre bordão "É o novo"; "Besteira Muita". Destacou-se, também, na TV Diário, com o programa TV Neno, uma apresentação bem humorada dos fatos cotidianos, com simplicidade e verve singular. Felizmente, nós e seus admiradores temos no seu livro, "Era", lançado em 2008, uma boa oportunidade para relembrar de seus textos. Neno, descanse em paz.

Lúcia Brandão. Historiadora

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.