IDEIAS

Saudades das 'Coca-colas'

00:00 · 15.09.2018

Amanifestação do fenômeno social que ficou conhecido por "Coca-colas" surgiu na década de 1940, entre as moças que residiam em Fortaleza, decorrente de um enorme desejo de liberdade social que elas sentiam. Com muita coragem assumiram a sua própria maneira de viver em sociedade, independente do preconceito e murmúrios que aquilo pudesse gerar e, assim, assinalaram um extraordinário feito sociológico que hoje é apenas longínqua lembrança.

Naquela época, o mundo estava conflagrado pela 2ª Grande Guerra, que se desenrolava na Europa, na Ásia e na África e que felizmente não havia chegado ao nosso País. Contudo, face a imperiosa necessidade de encurtar distância para a África, para onde precisava transportar homens e material, o governo americano conseguiu autorização para dispor das bases aéreas de Natal e de Fortaleza, trazendo aeronaves e seus soldados.

Em consequência desse encontro, mais que natural, foi que surgiram as famosas moças que, fisgadas pelos jovens militares americanos, mais tarde, preconceituosamente, foram chamadas de "Coca-colas". Por ser ainda garoto, eu pouco pude admirar daquelas lindas jovens, mas minha lembrança leva-me a uma vizinha, linda morena, que era paquerada por um jovem militar americano, que a visitava frequentemente, bem uniformizado e num jipe de guerra, e que nos obsequiava com moedas e cigarros Camel e Lucky Strikes.

Essas moças eram as mais elegantes, educadas e charmosas que existiam na sociedade, e que se sentiam infelizes por viverem numa pequena cidade, sem maiores opções, a não ser frequentar cinemas de terceira categoria, tendo certeza que nunca casariam com homem à altura delas. Com desenvoltura, à noite, passaram a frequentar a Vila Morena (Estoril), na Praia de Iracema, transformada em clube dos oficiais americanos, onde, desinibidas, afrontavam as críticas da sociedade preconceituosa, e à tardinha, para desespero dos marmanjos, frequentavam o bar "O Jangadeiro", na Praça do Ferreira. Era uma afronta que nunca foi perdoada. Em homenagem àquelas moças, registro o nome da mais representativa: a linda Cyres Braga.

Rui Pinheiro Silva
Coronel reformado do Exército

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.