Artigo

Recursos hídricos

00:00 · 22.03.2018

Foi entregue à humanidade a natureza inteira para que dela cuidemos e dela nos sustentemos. Porém, dentre os recursos finitos destaca-se em situação crítica à água, e por ser tão simples não lhe damos a atenção devida. A realização do 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília (DF), vem nos mostrar que o mundo está ficando com menos água, e conscientizar a nós todos que ela seja usada com mais eficiência em todos as nossas atividades, para que tenhamos a redução da desigualdade social, da pobreza, e da desigual distribuição da água.

Esses problemas devem ser considerados em nível nacional, e nenhum deles podem ser resolvidos pela União, pelos Estados, sem a participação ativa dos Municípios. Estamos diante de uma realidade socioambiental, em que a sociedade brasileira foi induzida a considerar a água como uma necessidade e, jamais como um bem público e um direito humano fundamental. O problema da relação demanda e disponibilidades hídricas são preciosos indicadores sociais, econômicos, políticos e ambientais, os quais devem ser referenciados à implantação de uma hidropolítica, em que convém ressaltar da importância dos Municípios no planejamento, administração e gestão da água, independentemente do domínio dos mananciais superficiais, os quais são considerados os agentes naturais para o desenvolvimento da solidariedade e sustentabilidade hídrica em uma unidade hidrográfica.

É nos municípios onde as mudanças são favoráveis para conscientizar o poder público local e a sociedade à formulação e implantação de uma política e sistema Municipal à gestão e administração da água.

Francisco Parente de Carvalho
Engenheiro agrônomo e hidrólogo

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.