artigo

Prisão e liberdade

00:00 · 07.10.2017

Aqui faço alusão à mente. Muitas pessoas vivem presas na perpétua solidão e ilusão de seus sofreres, e ainda que busquem uma solução ficam enjaulados pela masmorra dos inconscientes que construíram. Interessante que, mesmo que se descubra a gênese dessa prisão, existirão os eternos enclausurados no deserto da mente.

Deprimidos e etc precisam compreender a possibilidade de conseguir essa esperada liberdade, a mercê de alcançarem um tal aprisionamento que prefiram sucumbir à reagir. Afinal de contas, ficamos um tempo mínimo na esfera de nosso mundo, e dessa forma, vale à pena esperar o indecifrável bem que se esconde nessa prisão.

As algemas das exigências e do sôfrego narcisismo de muitos podem encontrar suas chaves, desde que se permita acreditar em dias melhores. Como alcançar a liberdade da mente e conduzir-se nos serenos caminhos que se esperam? Qual encruzilhada decifra os enigmas dela? Em alguns momentos, o inconsciente de muitos é tão cimentado e bloqueado na sua construção, que talvez, somente na valorização de suas consciências haverão de conseguir a alegria desejada. Ainda assim, é prudente e preciosa essa busca do desconhecido (significado de inconsciente).

Amor, alegria, saber agradecer e alimentar esperanças e sonhos, com certeza nos prenderão nos campos da liberdade, que tanto precisamos. Remédio, terapias, controlar medos e os benfeitores da vida são cruciais nessa valiosa conquista. Decerto, muitos pensam que se auto destruir é mais fácil, e aí nesse pensar e na capacidade de reflexão e ação é onde está o lacre inviolável ou o laço que destranca essa prisão.

A liberdade da mente é um dos mais abençoados dons da formação psíquica. Você tem a chave dessa prisão. Use-a.

Russen Moreira Conrado. Médico e psicoterapeuta

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.