artigo

Pe. Sadoc e a UVA

00:00 · 07.09.2018

É sempre bom lembrar fatos históricos que marcaram as vidas das pessoas e os momentos de uma comunidade, de uma região etc. Estávamos na segunda quinzena de março do ano de 1983. Tinha sido eleito governador do Estado do Ceará e formava a minha equipe de trabalho. Contei com a compreensão das três maiores lideranças do meu Partido Político, na época (PDS), ex-governadores Virgílio Távora, Adauto Bezerra e César Cals, e consegui formar um secretariado melhor do que muitos ministérios brasileiros. Certa vez, recebi, de surpresa, no gabinete de trabalho, o "Reitor dos Reitores" Antônio Martins Filho. Fiquei emocionado, perguntei ao mestre o que ele desejava. De forma objetiva respondeu: quero ser seu secretário sem Pasta e sem vencimentos. Ele continuou, há reciprocidade. Fiquei perplexo.

Perguntei então qual. Respondeu-me de pronto: vamos criar a Urca, melhorar as condições de funcionamento da Uece e, sob a coordenação do Padre Sadoc de Araújo, estadualizar a UVA, em Sobral, que estava para ser extinta, pois era uma autarquia municipal, cujo funcionamento a Lei Gustavo Capanema não permitia. Minha alegria foi significativa e pedi ao estimado professor que, se possível, iniciasse o trabalho. Criamos a Urca, melhoramos a Uece, inclusive com o piso salarial dos mestres, e o obstinado Padre Sadoc consolidou a UVA. No dia da assinatura do Decreto Estadual, o querido sacerdote disse: "as duas maiores obras para a zona Norte do Ceará, no século XX, foram a Estrada de Ferro e a Estadualização da UVA (1986)". Sem dúvida, pode-se dizer que a zona Norte do Estado muito deve ao Padre Sadoc.

Gonzaga Mota
Professor aposentado da UFC

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.