Artigo

'O belo é o diferente'

00:00 · 11.08.2018

As diferentes formas de ver e reconhecer o belo nos mostra que a beleza não está nos padrões que a sociedade impõe, mas sim nos detalhes específicos de cada pessoa, na forma de ser, de agir e nas diferenças. Que graça teria se fóssemos todos iguais? O ser diferente também é sinônimo de ser belo. A noção de beleza é algo único, isso explica por que você, muitas vezes, acha uma pessoa linda e todos os seus amigos discordam.

Estudos da Massachusetts General Hospital, da Universidade de Harvard em parceria com a Wellesley College, concluíram que a noção de beleza pode ser genética, mas apenas em 50% dos casos. Já os outros 50% são compostos pela sua experiência de vida, como rostos que marcaram sua infância e personalidades na mídia, pontos únicos e que dificilmente serão iguais ao de outro indivíduo. No contexto atual, onde vivemos a era das redes sociais, das fotos, dos stories e dos programas de edição, fica cada vez mais importante prestar atenção nas diferenças, no charme individual e na forma de ser. O contato pessoal é essencial para avaliar as características, conhecer o outro e descobrirmos a real beleza que existe nele e em nós. Perceba o que o difere do outro, possivelmente, isso é o que o atrai a ele.

O propósito dessa exposição talvez, seja exatamente este: fazer perceber que existem elementos contingentes e variáveis em nós que nos faz considerar o que é "belo", e estas variações não dependem só da cultura ou de padrões sociais, mas principalmente de nossas individualidades...Então, antes de querermos nos enquadrar em padrões, olhemos para si, para dentro. Descubramos a nossa beleza.

Rebeca Parente
Gestora de Marketing

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.