artigo

No rumo certo

00:00 · 04.04.2018

O governador Camilo Santana figura, já de agora, entre os grandes governadores do Ceará. Tal fato deita raízes no revolucionário Cariri, do qual Camilo é filho. A indicação do então governador Cid Gomes foi das mais felizes. E Camilo não negou as tradições.

Tem feito o possível e o impossível para defender e promover o desenvolvimento do Estado. Se lhe fosse possível iria à Lua ou a Marte para trazer de lá todos os recursos possíveis à demarragem deste sofrido Estado da Federação. Só uma pessoa obtusa - não diria um cego, para não ofender àqueles sem visão - não enxerga o quanto o governador há feito para promover o desenvolvimento do Ceará, pelas constantes viagens e contatos com países mais desenvolvidos da Europa e da Ásia.

Mantendo a rédia curta, tem garantido o pagamento em dia dos funcionários, e garantido aumento em percentuais suportáveis pelo Tesouro. A questão da segurança - onde tantos se apegam para criticá-lo - é uma questão difícil e de âmbito nacional, não cabendo ao governador culpa exclusiva pelo estado de violência e de beligerância disseminada pelo País.

As razões são múltiplas e envolvem questões não só puramente materiais, mas também valores morais e éticos. O governador Camilo, jovem e intrépido, despossuído daquela "liturgia" do cargo, bem merece reconduzir os destinos do Ceará, pois reúne competência e determinação para, em meio às dificuldades, buscar caminhos capazes de promover o desenvolvimento cearense, em sequência à saga dos Cariris e à ação revolucionária dos Alencares, entre os quais avultam Bárbara de Alencar e Tristão Gonçalves.

Eduardo Fontes. Jornalista e administrador

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.