Mais lida da semana

Mulheres são violentadas

00:00 · 07.04.2018
a
A agricultora Maria Monteiro disse que estranhou a conduta do médico ( FOTO: CID BARBOSA )

Três moradoras de Uruburetama, cidade distante 127 Km de Fortaleza, relataram terem sido abusadas sexualmente pelo médico ginecologista e prefeito do Município, José Hilson Paiva, conhecido como doutor Hilson. Em depoimentos à reportagem do Diário do Nordeste, as mulheres pediram Justiça, disseram que estão sofrendo ameaças de morte e pedem que o homem seja punido.

Esta matéria da editoria de Polícia, de quarta-feira, 4/4, foi a mais lida da semana do Diário do Nordeste. A defesa do médico, patrocinada pelo advogado Kaio Castro, negou as acusações e disse que está processando quem está por trás das denúncias caluniosas.

Relatos

A reportagem foi até Uruburetama, ontem e encontrou três das quatro mulheres que relatam terem sido violentadas sexualmente pelo doutor Hilson. Elas afirmam que o número de vítimas ultrapassa 50, e que o médico e político comete crimes sexuais desde a década de 1980.

A agricultora Maria Elioneida Monteiro contou que foi se consultar pela primeira vez com o ginecologista José Hilson Paiva em outubro de 2015, no consultório particular dele (que fica ao lado da residência do médico) e estranhou a conduta do profissional desde o início de um exame que foi requisitado:

"Ele mandou eu me deitar na cama e pediu para eu relaxar. Ele ficou pegando nos meus p... E perguntou se eu estava me sentindo bem. Eu fiquei pensando: esse exame está errado". "Então, ele disse: 'Maria, tu relaxa e abre as pernas'. Ele começou a cutucar (sic) minha v... E ficou esfregando minhas partes íntimas. Quando eu quis me levantar, ele gritou: 'Não, Maria, não se preocupa não'. Eu senti que ele estava nu e com o p... Ereto (sic)".

"Na minha saída da sala, ele falou: 'Maria, se tu disser pra alguém isso, tu acha que o juiz ou o delegado vão acreditar em ti?! Pensa, Maria. Olha pra ti. O que aconteceu aqui vai ficar aqui'", relatou a agricultora à reportagem.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.