JOSUÉ DE CASTRO

Mães e vida familiar

20:33 · 26.05.2007
Os relacionamentos são a essência da vida. Envolvem afetos, segurança, bem-estar, sonhos e felicidade. O relacionamento familiar é complexo, desenvolvendo sentimentos, tensões e conflitos de posse, de liberdade, dependência e liderança. Começando pelo casal recebendo influências reguladoras sociais, morais e espirituais. O pensamento familiar sofreu constrangimento e pesadas restrições através do tempo. Com o movimento europeu hippie anárquico, irresponsável e inconseqüente.

Com os governos totalitários do leste europeu sobrepondo o Estado sobre a família, e muito provavelmente com o neoliberalismo ocidental intentando reduzir o homem a um simples consumidor empregado de um sistema social elitista e perverso. O relacionamento familiar forma um elo indestrutível entre pais e filhos. O apego e o afeto desenvolvem uma relação incomparavelmente sólida, infinita e insubstituível. O relacionamento avós-netos promove uma forte estabilidade e discernimento familiar. Nos bons relacionamentos os irmãos se reúnem, são protetores uns dos outros e se apóiam entre si. A perda do relacionamento familiar conduz ao luto, isolamento, impotência psíquica, depressão e drogas. Emoções fortes, desastres, mudanças sociais e econômicas estressam o relacionamento pai-mãe-filhos e acontecem a partir de um desvio de comunicação, superproteção e disciplina inadequada. As dificuldades surgem em diversas situações. Dependência, dificuldades financeiras e sociais. Quando os pais são divorciados, viuvez ou um novo casamento.

Os princípios cristãos constituem o mais significante apoio, o amálgama e o maior alcance na harmonia e afetividade do relacionamento familiar. Nas celebrações religiosas matrimoniais católicas os sublimes sentimentos doutrinados pelo sacerdote-celebrante semeiam felizes recorrências psicológicas. O desequilíbrio estrutural da família leva às desordens do comportamento com desestabilização, inadequado social e sexual. A projeção dos filhos para fora de casa não é aconselhável nos tempos atuais.

Mesmo quando o filho se torna adulto a convivência é benéfica para todos. A natureza do relacionamento familiar é árdua, devendo reunir o maior número de conhecimentos e precisão nos momentos críticos. A ausência de um modelo ou um conjunto formal de idéias pode desencadear um transtorno.

A maturidade, a racionalidade dos padrões e os valores não devem ser subestimados em nenhuma circunstância, mesmo quando questões adolescentes imprimem uma eventual discussão calcada na efêmera hipótese do modernismo. Prevalecem os princípios lógicos, verdadeiros e consagrados pela experiência. Descubra logo que sua família e a religião são muito importantes para você. Antes que seja tarde. O amor de mãe tem fortes raízes, conscientes e inconscientes. Dotada de forças psicogênicas transcendentais, a mulher ao conceber um filho irradia um dom divino que não pode ser substituído em nenhuma circunstância. Quantas mães morreram felizes ao darem luz a um filho. Desde a gestação, protetora e inseparável companheira, ela detém a guarda dos filhos com fé, orgulho e determinação. É uma missão que Deus lhe confiou. Ninguém jamais a afastará do seu grande destino junto à família. Rainha dos nossos corações, motivação de nossas vidas. Célula maior da sociedade. Talvez expressando toda essa energia, a mulher estaria sobrepujando o homem no mundo moderno.

Lembro minha mãe, Maria. Santa no nome, na alma e na vida simples. Porém de uma enorme riqueza espiritual. E o enorme carinho, lealdade, sinceridade e fraternidade que expressava pelo marido, meu inesquecível e iluminado pai. Um dia dei o seu sagrado nome ao Hospital Geriátrico. Hospital Santa Maria. Foi então que suas bênçãos se derramaram entre as pessoas assistidas naquela Clínica, onde encontraram a paz e a fraternidade necessárias aos enfermos. Além do fundamental apoio da Medicina. O Dia das Mães não deverá ser somente um dia por ano. E sim, todos os dias são os dias de nossas mães. Vamos abraçar, beijar e venerar as que ainda estão entre nós. Às mães que Deus já abriga em seu infinito Reino, nossas orações para que continuem sempre nos enviando suas mensagens e suas eternas luzes. Agora rezemos. Ave Maria, cheia de graça. Bendito é o fruto do vosso ventre Jesus!

(Reminiscências - A História de Um Professor Em 5 Vivências - 2ª Edição).

JOSUÉ DE CASTRO
Professor

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.