artigo

Lucidez nos estádios

00:00 · 12.04.2018

É triste ver um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Ceará que pretende liberar a venda de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol. O álcool é uma droga que afeta o estado de consciência do seu usuário, podendo colocá-lo em risco, como também as pessoas próximas. Estaremos expostos a torcedores embriagados num local em que as emoções afloram e explodem. Umas das maiores autoridades nacionais em violência no futebol, Maurício Murad, é taxativo: "O álcool inibe a autocrítica, reduz a censura e, por isso, torna as pessoas mais desinibidas para ultrapassarem limites e até mesmo chegar à agressividade e à violência".

Os dados do sociólogo mostram que a violência nos estádios de futebol caiu após a proibição das bebidas em 63%, em Pernambuco, 57%, em São Paulo e 45%, em Minas Gerais. A Itália proíbe o álcool em seus estádios. A UEFA (Federação Europeia de Futebol) promotora da Champions League proíbe o álcool em qualquer jogo promovido por ela. O senso de responsabilidade dos europeus é tamanho que o patrocinador principal de seus torneios é uma gigante cervejaria holandesa, e nem por isso a UEFA se curvou aos interesses comerciais.

O governo do Estado e os representantes do futebol cearense se reuniram, recentemente, para adotar necessárias medidas de combate à violência, após as últimas chacinas ocorridas. Estamos num momento delicado, sendo insensato cogitar essa liberação. A Assembleia Legislativa do Ceará desenvolve um trabalho, reconhecido por todos, chamado "Ceará sem drogas", cobramos coerência em não permitir um retrocesso no combate às drogas no Ceará.

Luiz Wilson de Araújo. Cardiologista

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.