artigo

Linhagem

00:00 · 15.07.2017

Genealogia. Estirpe. Fonte. Origem. Descendência. Procedência. Derivação. Prosápia. Progenitores. Avós. Toda a sinonímia nos levando a colocar peças de um xadrez literário capaz de definir a linhagem intrincada do livro das "Origens de Umarizeiras e Lages". Produção tipicamente artesanal do escritor Edgar Marçal de Barros. O autor reúne peças de autêntico "quebra-cabeça" familiar. Consegue articular toda uma caminhada histórica da sua plêiade. Umarizeiras surge notável em livro metódico pela excelência das pesquisas.

Técnica estatística bem estruturada não só para o contexto família, mas robusta conceituação da origem de uma cidade, do lugar Umarizeiras. Idas e vindas em voltas de profunda historicidade, onde aponta os rumos da cidadania conceitual tão ligada aos troncos familiares de expressão e amor à gleba pesquisada. Edgar Marçal revela paciência e denodo na formação das "Origens de Umarizeiras e Lages". Texto primoroso para despertar a atenção dos que sintonizam com os fatos históricos comprovados pela veracidade documental que o tempo não apaga.

Trabalho elogiável pela impecável correção dos seus caracteres, sem desprezar o valor linguístico do relato histórico dos construtores de Umarizeiras. O Ceará tem o aporte de fazer luzir a grandeza originária das suas urbes, cujas denominações, por si só, já despertam curioso interesse de quem gosta de conhecer. Na junção das peças desse "quebra-cabeça" literário, Edgar Marçal adere ao refrão de "todos cantam a sua terra, também vou cantar a minha". Linhagem escrita em detalhes de uma saga histórica, no tradicional conceito de família.

Paulo Eduardo Mendes - Jornalista

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.