Mais lida da semana

Líder de facção é preso no CE

00:00 · 07.10.2017

As notícias sobre uma espécie de 'drive-thru' de drogas, na Avenida Washington Soares, são antigas. Os clientes paravam na via e alguém corria da 'Comunidade Pôr do Sol' para fazer a entrega. O que ninguém sabia era que, por trás do varejo de droga no asfalto, havia um grande esquema de tráfico, montado por um traficante com conexões internacionais. Um dos principais líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN), Lucas Mendes Ferreira, o 'Patrão', foi preso, na última semana, pela Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), na 'Operação Occasus'.

Esta matéria da editoria de Polícia, de quarta-feira, 4/10, foi a mais lida da semana do Diário do Nordeste. Lucas Mendes era uma espécie de 'braço-direito' do fundador do FND, Gelson Lima Carnaúba. Em 2008, foi preso pela Polícia Federal, em Fortaleza, onde teria conhecido o traficante Lucas. No presídio, Carnaúba fundou a facção, que começou a atuar no Norte, depois se expandiu para outros estados.

Comando

Ele precisava de alguém de sua confiança, que estivesse nas ruas, para manter a negociação dos entorpecentes ativa. Conforme as investigações, essa pessoa era Lucas Ferreira. Beneficiada pela proximidade geográfica, a FDN consegue trazer grandes quantidades de cocaína da Bolívia e de maconha do Paraguai. A facção usa rotas fluviais, aéreas e terrestres para distribuir as drogas pelo Brasil.

"Não tem nada que aconteça na FDN que Lucas não saiba", definiu uma fonte sobre o traficante. Segundo ela, é provável que ele soubesse e até tenha envolvimento na morte de Wainer de Matos Magalhães, o 'Pepê', na Avenida Santos Dumont, em abril último. "O 'Wainer Pepê' era gerente da FDN e queria mais poder na facção. Ele fazia parte de uma dissidência, que não concorda com o Gelson Carnaúba", afirmou. A quadrilha dele tinha drones para fazer a vigilância das comunidades, armas de grosso calibre e empreendimentos para lavar o dinheiro, como uma igreja evangélica.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.