editorial

Lições de 292 anos

00:00 · 13.04.2018

O aniversário de Fortaleza, que completa hoje 292 anos desde que se tornou uma vila em 13 de abril de 1726, lembra como uma cidade, mesmo relativamente jovem, conseguiu colecionar no decorrer de sua história processos de modernização cruciais para o desenvolvimento e alcançou destaque em diferentes segmentos. Ao mesmo tempo, a data instiga reflexões acerca de quais ações devem ser executadas ao longo das próximas décadas para que o crescimento da Capital seja assegurado de modo a preservar prioritariamente a qualidade de vida dos mais de 2,5 milhões de habitantes.

Fortaleza se transformou em Capital do Estado apenas em 1923, mas os primeiros indícios de modernização foram notados por volta de 1860, quando ela passou a ser o principal polo exportador de algodão. À época, com a maior entrada de recursos motivada por essa atividade econômica, ampliou-se também o investimento em infraestrutura, com a construção de novos equipamentos e o surgimento de serviços inovadores para o período. No início do século XX, durante a fase conhecida como belle époque, a cidade também registrou grande evolução ao passar por mudanças urbanas que redesenharam a paisagem da "Terra de Iracema".

Com o passar do século, contudo, a exemplo do que ocorreu em outras grandes metrópoles urbanas brasileiras, houve crescimento desordenado e desigual responsável por amplificar problemas que persistem até hoje. As visíveis discrepâncias sociais, alimentadas por essa expansão mal planejada, logo cultivaram, por exemplo, ambiente favorável para a escalada da violência, multiplicou o número de pessoas sem acesso à rede de esgoto e agravou o déficit habitacional.

Combater a sensação de insegurança persiste entre as principais deficiências que carecem de solução. Experiências recentes na recuperação de praças, parques e outros ambientes destinados ao uso da população é um dos caminhos para fazer Fortaleza deixar o problema da violência no passado. Manter tal estratégia é importante, pois os espaços públicos, quando bem cuidados, estimulam as pessoas a ocupá-los e aproveitá-los da melhor forma possível, além de incentivarem o sentimento de pertencimento dos habitantes em relação à cidade.

Investir permanentemente em mobilidade urbana se tornou outro desafio necessário para que Fortaleza obtenha o progresso almejado. Responsável por concentrar mais de um milhão de veículos, a Capital detém a maior frota do Nordeste e, por tal razão, tem buscado estimular a utilização de modais alternativos. Se tal tema não seguir como alvo prioritário de políticas públicas, eleva-se o risco de colapso no trânsito.

Outro obstáculo que se impõe ao futuro de Fortaleza é se consolidar entre os grandes destinos turísticos. Com a instalação do "hub" da Air-France-KLM no Aeroporto Internacional Pinto Martins, vislumbra-se horizonte promissor, porém não é suficiente. É também urgente expandir a infraestrutura e qualificar os atrativos oferecidos pela cidade para que os visitantes sintam-se atraídos.

Deve-se compreender que superar os desafios de uma cidade do porte de Fortaleza não é tarefa exequível de um aniversário para o outro. Demanda-se processo complexo que tem de incluir esforços conjuntos de suas autoridades e cidadãos, além de planejamento bem elaborado. Para construir uma cidade acolhedora repleta de oportunidades, é imprescindível observar o passado, estudar as lições desses 292 anos de história e evitar os erros cometidos anteriormente.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.