Editorial

Liberdade de Imprensa

00:00 · 09.04.2018 / atualizado às 00:22

Em meio às crescentes tensões políticas, a imprensa brasileira desempenha papel de inestimável valor para a manutenção do Estado Democrático de Direito. Causam apreensão e indignação, portanto, os episódios de hostilidade contra veículos de comunicação e profissionais de jornalismo.

Os atos que tentam ameaçar a autonomia da imprensa, garantida pela Constituição Cidadã de 1988, ferem ainda o direito fundamental à propriedade privada. O Sistema Verdes Mares (SVM) condena veementemente as investidas de ativistas, que em nada contribuirão para a construção de um País mais justo, e reforça que o curso correto a ser seguido passa, obrigatoriamente, pelo debate limpo de ideias, a liberdade de expressão, a busca por unidade, a transparência, e jamais pela violência.

Em São Bernardo do Campo (São Paulo), onde se concentrou o maior ato em defesa de Lula, diversos casos de agressões ou ameaças a jornalistas de múltiplos veículos foram registrados, de acordo com a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

Tais atos de opressão foram prontamente condenados por entidades de defesa à liberdade de imprensa, como a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), a Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ).

A livre manifestação é um direito inalienável de todos os cidadãos e um pilar robusto da democracia, mas são inadmissíveis quaisquer atividades que atentem contra a liberdade de imprensa. A postura de alguns indivíduos não será capaz de cercear o significativo trabalho de levar informação de qualidade à população. Justamente neste período em que se observa, no Brasil e no mundo, a perigosa ascensão do fenômeno das chamadas fake news (notícias falsas), a atuação de veículos renomados de rádio, televisão, jornal, revista e sites de notícias se mostra ferramenta essencial.

É na mídia tradicional e profissional que leitores, ouvintes e espectadores encontram respaldo, separando o conteúdo credível do oceano de informações suspeitas que jorra de sítios duvidosos na internet. Cada vez mais, o trabalho de checagem, pesquisa, entrevista e os demais ritos técnicos inerentes ao jornalismo são imprescindíveis, a fim de oferecer conteúdo sério. E o SVM não recuará do compromisso assumido. Pelo contrário, empenhar-se-á continuamente em informar, com credibilidade e responsabilidade, os eventos de interesse local, nacional e mundial.

Assim tem sido feito desde o início da Operação Lava Jato, a qual atingiu diversos políticos de partidos e ideologias distintos. O SVM seguirá acompanhando os desdobramentos da operação, que vem escancarando o endêmico problema da corrupção e repreendendo, dentro dos protocolos legais, figuras que desvirtuaram a gestão pública.

Reiteramos o apoio irrestrito à liberdade de imprensa e discordamos de todas as intervenções que buscam censurar o fazer jornalístico.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.